Jayme quer expulsão de ‘infiéis’ do DEM

O senador Jayme Campos (DEM) defendeu a expulsão dos prefeitos do partido que declararam apoio ao candidato adversário, o governador Silval Barbosa (PMDB). O democrata é aliado da chapa encabeçada pelo tucano Wilson Santos. Sob a égide da fidelidade partidária, o parlamentar sugere que o respaldo dos gestores para Silval possa estar ligado a práticas …

27/08/2010 08:01



O senador Jayme Campos (DEM) defendeu a expulsão dos prefeitos do partido que declararam apoio ao candidato adversário, o governador Silval Barbosa (PMDB). O democrata é aliado da chapa encabeçada pelo tucano Wilson Santos.

Sob a égide da fidelidade partidária, o parlamentar sugere que o respaldo dos gestores para Silval possa estar ligado a práticas ilícitas. “Isso é preocupante, porque existe a questão da fidelidade partidária. É preciso fazer alguma coisa, porque o partido não é um balcão de negócios”, disparou.

Jayme Campos, que também é coordenador do Comitê Político do candidato ao governo, ex-prefeito Wilson Santos, chama a atenção dos prefeitos para a posição do partido na coligação Senador Jonas Pinheiro. O deputado estadual Dilceu Dal Bosco (DEM) é vice na chapa majoritária. Diante do quadro, Jayme entende que é preciso seguir regras partidárias e ainda a orientação da legenda em torno do projeto político para as eleições de 2010.

O senador lembrou que durante a convenção da legenda, realizada no dia 26 de junho deste ano, foi confeccionada ata que confirmou a aliança do DEM com os tucanos no pleito geral. Ele rebateu ainda declarações de prefeitos do partido que alegam distanciamento entre as decisões da direção e as bases. “Teve a convenção do partido e todos sabiam da posição do partido sobre as eleições. Tem tudo em ata, então não tem como negar que desconheciam o projeto do partido ou que isso não foi discutido”, enfatizou.

O senador alertou outras legendas para que “prestem atenção” a esse tipo de situação. “Esse problema não é vivido só no DEM, mas também em outros partidos, e acho que todos deveriam avaliar isso. Como fica o partido enquanto instituição? Esse quadro enfraquece os partidos”, ponderou. Jayme disse que irá defender, junto à direção da sigla, sanções para os representantes do DEM que caminharem em desacordo com a linha eleitoral adotada para as eleições deste ano.

Na tarde de ontem o presidente regional do Democratas, Oscar Ribeiro, disse que aguarda reunião com o senador para discutir o assunto. Mas antecipou que devido à importância do contexto uma eventual expulsão de prefeitos precisa passar pelo crivo do colegiado democrata de Mato Grosso. O dirigente partidário disse que espera até o dia 3 de outubro assegurar a unidade do partido em torno da candidatura de Wilson Santos. Entretanto, admitiu que o cenário é delicado.

Nesta semana o chefe do Executivo estadual comemorou, em ato simbólico realizado na sede da coordenação de campanha, o apoio de um grupo de 17 prefeitos da região do Araguaia que respaldam seu nome na corrida ao Palácio Paiaguás. Na lista de apoiadores de Silval estão os prefeitos democratas de Santa Cruz do Xingu, Eurípedes Néri; de São José do Xingu, Gilberto Mendes Leoncini; de Alto Boa Vista, Aldecides Milhomen; e ainda de Bom Jesus do Araguaia, Aloísio Kacob.