Máquinas estão a todo vapor nas ruas de Cuiabá

Nos bairros Jardim Planalto e Sol Nascente, ambos em Cuiabá, maquinários como motonivelador, rolo compactador, caminhão pipa, caminhão basculante e pá carregadeira, atuam no trabalho de pavimentação asfáltica. Esse serviço é parte do pacote de sete lotes de trabalhos de tratamento superficial duplo (TSD), pavimentação asfáltica e drenagem profunda de águas pluviais executados pela Secretaria …

31/08/2010 10:52



Nos bairros Jardim Planalto e Sol Nascente, ambos em Cuiabá, maquinários como motonivelador, rolo compactador, caminhão pipa, caminhão basculante e pá carregadeira, atuam no trabalho de pavimentação asfáltica. Esse serviço é parte do pacote de sete lotes de trabalhos de tratamento superficial duplo (TSD), pavimentação asfáltica e drenagem profunda de águas pluviais executados pela Secretaria de Estado de Infraestrura (Sinfra), por meio de empresas da Capital. Nessas obras serão aplicados um montante de R$ 20.300.819,07, divididos entre União com investimentos na ordem de R$ 18.270.737,16 e Estado, no valor de R$ 2.030.081,91.

Os trabalhos de pavimentação no Jardim Planalto representam uma parte do conjunto de obras do lote 06, na ordem de R$ 3.321.853,34, no qual também serão pavimentas ruas dos bairros Jardim Florianópolis e Jardim Getúlio Vargas. Executadas pela empresa Lúmen, essas obras totalizarão uma extensão de 6,22 quilômetros de ruas asfaltadas. Ruas que em época de seca, como esta que a cidade enfrenta, geram sujeira e poeira, fatores que contribuem para o surgimento de doenças respiratórias e alérgicas.

Outro conjunto de obras de pavimentação e drenagem em andamento é o do lote 07. Também executada pela Lúmen, esses serviços serão realizados nos bairros Sol Nascente, Bosque da Saúde, Recanto do Sol, Jardim Brasil, Itamarati, Jardim Catedral, Jardim Fortaleza e Jardim Aquários. Para isso foram disponibilizados recursos na ordem de R$ 2.417.573,83.

“Olha, sofremos muito com tanta poeira, principalmente agora. Os idosos e as crianças são as que mais penam com isso, tendo que ir ao hospital para fazer inalação. A promessa de que vão asfaltar nossa rua é antiga. Agora só acredito vendo. A hora que eu ver essa rua sem poeira, vai ser um alívio, uma maravilha”, enfatiza Célia Aparecida Fernandes Ribeiro, moradora há 23 anos no bairro Sol Nascente, fundado em 1984.

Alívio que também será sentido pela manicure Francisca Oliveira, que reside há 15 anos no bairro. Conforme ela, constantemente os moradores, aproximadamente 1.200, recebiam a promessa de que a região receberia pavimentação asfáltica. “É uma reivindicação antiga de nós moradores. Saber que as máquinas estão aqui nos dá uma sensação de alívio mesmo. Com essa melhoria teremos mais dignidade”, declara.

Residente no Sol Nascente há 20 anos, o empresário Cleber Basílio diz que com a pavimentação asfáltica o investimento aplicado em seu negócio, uma loja de manutenção de motos, será maior. “A gente perde muito cliente devido à sujeira e poeira. É uma luta diária manter a loja limpa, pois todo nosso material exposto acaba perdendo o valor por causa da poeira que alastra por todos os lados, que faz com que aparentam ser produtos velhos. Por isso não invisto tanto. Com o asfalto será diferente, teremos condições de investir mais na loja”, relata.

O empresário acredita que o asfaltamento das ruas do bairro representará um aumento no caixa de sua empresa. “Vai mudar da água para o vinho. O cliente vai poder chegar à loja e ter mais conforto. E isso vai aumentar meu lucro em cem por cento”, pontua Cléber.

Segundo a superintendente de Vias Urbanas e Saneamento da Sinfra, a engenheira Marciane Prevedello Curvo, a ordem de serviço para execução dessas obras foi dada no final de junho devido algumas correções nos projetos de obras aprovados pela Caixa Econômica Federal (CEF). “Nossa equipe técnica constatou que havia a necessidade de fazer algumas alterações nos projetos em relação às drenagens profundas desses bairros. E um dos problemas da durabilidade dos asfaltos tem haver com a falta de drenagem”, diz Marciane ao explicar o atraso para o início das obras programadas anteriormente para abril.