Atores da comédia Decameron falam sobre a peça em workshop gratuito no Cine Teatro

A partir desta quarta-feira (08.09), artistas e estudantes já podem se inscrever para o workshop “O Processo Criativo do Espetáculo Decameron”. Com participação dos atores Jô Santana, Hossen Minuss, George Sauma e a atriz Rose Lima, o workshop é gratuito e acontece no dia 18 de setembro, das 15h às 17h, no Espaço Cênico do …

08/09/2010 12:02



A partir desta quarta-feira (08.09), artistas e estudantes já podem se inscrever para o workshop “O Processo Criativo do Espetáculo Decameron”. Com participação dos atores Jô Santana, Hossen Minuss, George Sauma e a atriz Rose Lima, o workshop é gratuito e acontece no dia 18 de setembro, das 15h às 17h, no Espaço Cênico do Cine Teatro Cuiabá.

A ação realizada pelo Instituto Matogrossense de Desenvolviemtno Humano (IMTDH) com parceria da produção do espetáculo Decameron, é direcionada a artistas e estudantes dos diversos segmentos das artes, profissionais e estudantes de linguagens, comunicação social, história, moda, entre outras áreas que perpassam ao processo de criação e montagem do espetáculo.

As inscrições ficarão abertas até 17 de setembro, no foyer do Cine Teatro Cuiabá, das 14h às 18h, exceto segunda-feira, sábado e domingo.

Decameron

A peça de teatro Decameron é uma irreverente comédia que mistura paixões, comportamentos humanos, infidelidade, sedução e trapaças sexuais. Com apresentações nos dias 17, 18 e 19 de setembro, no Cine Teatro Cuiabá, o espetáculo é homônimo da obra do italiano Giovanni Boccaccio. Para contar a historia, o ator e produtor Jô Santana reuniu um grande elenco – George Sauma, Camila Rodrigues, Jandir Ferrari, Dhu Moraes, Paula Possani Rafa de Martins, Roberto Lopes, Hossen Minussi e Rose Lima – que representam vários personagens de época, marotos e debochados. As hilariantes músicas, compostas por Zéu Britto, são cantadas e tocadas ao vivo pelo próprio elenco, o que dá ainda mais alegria ao espetáculo.

O autor

Autor e poeta italiano, Boccaccio é conhecido pela autoria de inúmeros contos que satirizam o pensamento religioso na Idade Média, onde promove o prazer como essência da felicidade na sociedade. Sua obra é considerada um dos mais representativos painéis sobre valores morais sociais da época, quando os últimos vestígios das concepções teocráticas e feudalistas se viram suplantados pelo humanismo e pelo apogeu da burguesia mercantilista.