Mais 4.800 vagas podem ser ofertados no ProJovem Urbano em 2011

  Governador Silval Barbosa conversa com secretários da Setecs e deputado Alexandre Cesar, sobre o ProJovem A parceria Governo Federal e Governo do Estado, que por meio do ProJovem Urbano oferece elevação de escolaridade, capacitação profissional, informática e uma bolsa-auxílio de R$ 100 por mês para cada aluno participante, deve continuar em Mato Grosso em …

09/09/2010 09:47



 
Governador Silval Barbosa conversa com secretários da Setecs e deputado Alexandre Cesar, sobre o ProJovem
A parceria Governo Federal e Governo do Estado, que por meio do ProJovem Urbano oferece elevação de escolaridade, capacitação profissional, informática e uma bolsa-auxílio de R$ 100 por mês para cada aluno participante, deve continuar em Mato Grosso em 2011. Nesta tarde de quarta-feira (08.09), o governador Silval Barbosa e gestores da Secretaria de Estado de Trabalho, Emprego, Cidadania e Assistência Social (Setecs) alinharam algumas estratégias para o desenvolvimento do programa no próximo ano.

O secretário adjunto de Assistência Social da Setecs, José Rodrigues Rocha Júnior, adiantou que para o próximo ano o ProJovem Urbano prevê investimetos federais de R$ 23 milhões, além da contrapartida do Estado. Neste ano de 2010, o ProJovem atendeu pelo menos sete mil jovens, de 18 a 29 anos, de 11 municípios (Sinop, Alta Floresta, Primavera do Leste, Pontes e Lacerda, Juína, Juara, Cáceres, Sorriso, Tangará da Serra, Rondonópolis e Barra do Garças), que serão ampliados. Se o Governo Federal formalizar o prosseguimento do programa em 2011, mais 4.800 vagas serão ofertados em cidades ainda em definição.

Os alunos do ProJovem têm aulas de Português, Matemática, Inglês, Ciências Naturais, Ciências Humanas, Informática. Além do ensino formal, os estudantes também têm a disciplina de Participação Cidadã e são capacitados para o mercado de trabalho. O programa tem duração de 20 meses e como estímulo eles recebem uma bolsa auxílio de R$ 100 por mês. Cada aluno precisa ter no mínimo 75% de presença na sala de aula para participar do projeto. O Estado conta hoje com cerca de 500 professores da rede pública e da particular capacitados para atender esses alunos.

Mato Grosso fez adesão ao projeto em 2008, desde então é responsável por executar o programa nas escolas estaduais dos municípios com menos de 200 mil habitantes.

“Sem dúvida, é um programa que traz benefício para a nossa população, tem um impacto social muito grande. São pessoas que já tinham se evadido da educação formal, que agora vão poder dar sequência no ensino, participar do Ensino Médio, do Ceja (Centro de Educação de Jovens e Adultos), e alcançar o sucesso”, concluiu o secretário José Rodrigues.

Acompanharam ainda a audiência, o secretário de Trabalho, Emprego, Cidadania e Assistência Social, Jean Estevan Campos Oliveira; secretário adjunto de Trabalho e Emprego, Rodrigo Marchi; e o deputado estadual Alexandre César.