Falta de sono pode causar impotência

Distúrbios do sono podem causar impotência sexual. Foi o que revelou pesquisa do Departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Segundo a coordenadora do estudo, Monica Andersen, homens que dormem mal têm três vezes mais risco de ter disfunção erétil. Uma das explicações é a de que a privação de sono reduz …

11/09/2010 10:06



Distúrbios do sono podem causar impotência sexual. Foi o que revelou pesquisa do Departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Segundo a coordenadora do estudo, Monica Andersen, homens que dormem mal têm três vezes mais risco de ter disfunção erétil. Uma das explicações é a de que a privação de sono reduz a produção de testosterona, hormônio sexual masculino.

De acordo com Andersen, um estudo feito com ratos comprovou que a qualidade da relação sexual é afetada quando se dorme pouco. “Observamos que a privação de sono provoca uma excitação sexual nos ratos machos. Mas eles não conseguem fazer a penetração. Os ratos têm desejo, mas não a função erétil adequada”, afirma.

O mesmo pode acontecer com os homens. Um levantamento feito em 2007 em São Paulo, o Episono, revelou que, de 1.042 voluntários, 30% sofriam de apneia do sono e 17% se queixavam de impotência sexual. “Na faixa etária entre 20 e 29 anos, 7% dos homens disseram ter disfunção erétil. Acima de 60 anos, o índice subiu para 60%. Os que acordavam muito durante a noite eram os que mais reclamavam”, ressaltou Andersen.

Segundo a profissional, outros estudos também mostraram que a privação de sono causa estresse, envelhecimento precoce, obesidade, alterações cardiovasculares, maior risco de diabetes e aumento de colesterol, entre outros problemas de saúde.

IDEAL SÃO 8 HORAS NA CAMA

“A privação do sono aumenta o apetite por comidas calóricas, estimula o hormônio da fome e reduz o hormônio da saciedade, aumentando a gordura corporal”, revela a pesquisadora. Ainda segundo Andersen, a média ideal de sono são oito horas. Mas essa conta pode variar. “Quem acorda abrindo a janela, de bom humor, dormiu a quantidade de que precisava”, conclui.