Campo Verde será pólo têxtil de MT, diz Silval Barbosa

Maior produtor de algodão em pluma do Brasil, o município de Campo Verde (131 km ao Sul de Cuiabá) caminha a passos largos para se transformar em mais um pólo industrial em Mato Grosso, a exemplo da região do Araguaia, cuja logística está sendo preparada. “Campo Verde vai despontar e se desenvolver e vai ser …

13/09/2010 09:17



Maior produtor de algodão em pluma do Brasil, o município de Campo Verde (131 km ao Sul de Cuiabá) caminha a passos largos para se transformar em mais um pólo industrial em Mato Grosso, a exemplo da região do Araguaia, cuja logística está sendo preparada.

“Campo Verde vai despontar e se desenvolver e vai ser um pólo por suas características. Por isso, o Estado e o Governo Federal devem estar presentes nas obras estruturantes, nas obras de competência do Estado”, declarou o governador Silval Barbosa em Campo Verde, durante visita da comitiva da coligação “Mato Grosso em Primeiro Lugar” no final da manhã deste domingo (10).

Silval reiterou ao prefeito Dimorvan Brescancim (PR) que irá direcionar ao município algumas das empresas que estão chegando em Mato Grosso beneficiadas pelos incentivos fiscais que o governo oferece. “Para que estas empresas possam trazer o desenvolvimento e mais oportunidades de emprego”, afirmou. Obras estruturais importantes, como a recuperação da BR-070, já estão em andamento.

A visita a Campo Verde marcou no final da manhã o término do roteiro da comitiva do governador Silval Barbosa iniciado na sexta-feira (10) e que percorreu 13 municípios nas regiões Nordeste, Leste (Araguaia) e Sul de Mato Grosso. Antes de percorrer as ruas da cidade, numa grande carreata com cerca de 500 veículos, Silval e alguns candidatos fizeram um pronunciamento no centro da cidade, próximo à Praça IV de Julho.

Também participaram da carreata, o candidato a vice na chapa de Silval, Chico Daltro (PP), o candidato ao Senado Carlos Abicalil (PT), e o 1º suplente de Blairo Maggi (PR) ao Senado, Cidinho (PR), os ex-prefeitos de Campo Verde, Onéscimo Prati (DEM) e Vitor Vesz, militantes, apoiadores, produtores rurais, comerciantes, estudantes e trabalhadores e empresários.