WS aposta “fichas” em debate na TV e mira em Silval

O candidato ao Governo pelo PSDB, Wilson Santos, afirmou hoje (15) que vai “jogar todas as fichas” nos três debates na TV, que ocorrem neste mês, na reta final de campanha, para tentar reverter a situação e chegar ao segundo turno da eleição majoritária. O tucano vem registrando uma queda nas últimas pesquisas eleitorais – …

15/09/2010 17:39



O candidato ao Governo pelo PSDB, Wilson Santos, afirmou hoje (15) que vai “jogar todas as fichas” nos três debates na TV, que ocorrem neste mês, na reta final de campanha, para tentar reverter a situação e chegar ao segundo turno da eleição majoritária.

O tucano vem registrando uma queda nas últimas pesquisas eleitorais – ele começou a campanha em primeiro, caiu para o segundo e, hoje, é o terceiro colocado nas intenções de voto -, mas revelou que não vai entregar os pontos e se disse em condições, até mesmo, de ganhar a eleição.

Em entrevista  Wilson Santos revelou sua estratégia de mostrar o diferencial no embates na TV, para conquistar a preferência do voto. “Agora que a coisa começa a ficar boa. Estou muito confiante que nos três debates poderei mostrar quem é melhor para Cuiabá e Mato Grosso”, declarou.

O tucano disse que sua campanha se manterá no campo das propostas e das idéias. Ele afirmou que, após passar por vários postos na política (foi vereador, deputado estadual, deputado federal e prefeito), está preparado para administrar o Estado. “Tenho feito proposta para Mato Grosso. Me considero mais pronto e preparado para administrar o Estado. E a população vai saber escolher”, afirmou o tucano.

Wilson Santos declarou que espera contar com a presença dos quatro candidatos no debate, ao destacar que o governador Silval Barbosa (PMDB), candidato à reeleição, não está comparecendo aos eventos promovidos por entidades de classe.

“Espero que Silval não fuja dos debates”, disse, lembrando que, em 2008, na disputa a prefeito de Cuiabá, ele estava na frente e não deixou de comparecer aos debates.

Ataques

O candidato do PSDB  já adiantou que alguns assuntos serão explorados no debate eleitoral, como o Escândalos dos Maquinários, que apontou um superfaturamento de R$ 44 milhões na compra de caminhões e tratores para prefeituras; a polêmica da chegada da ferrovia até a Capital; e o posicionamento de Silval em relação à divisão do Estado.

“Esses assuntos não vão passar despercebidos durante os debates”, adiantou Wilson Santos.

Rejeição

Quanto à elevada rejeição em Cuiabá, conforme aponta as pesquisas, o candidato disse não acredita nisso e que o resultado é “fabricado e forjado” por alguns veículos de comunicação.

O tucano deixou transparecer que as empresas, sem citar quais, estariam contra sua campanha. “Muito veículos assumiram lado e não acredito nessa rejeição. Sou recebido com carinho pela população”, disse.

Virada

Para reverter a situação eleitoral, onde hoje sua candidatura aparece em terceiro lugar e com um quadro que indica a definição no primeiro turno, Wilson declarou que quer recuperar os índices em Cuiabá, chegando a 30% dos votos na Capital.

“Mudando esse quadro, estaremos no segundo turno. Estamos trabalhando para isso”, projetou.

Serra

Sobre se a constante queda do candidato a presidente José Serra (PSDB) estaria dando contornos prejudiciais à campanha dele em Mato Grosso, Wilson disse que “é um fato relativo”, mas se disse leal a candidatura tucana.

“Tem que ser amigo na hora boa e ruim, não só em festa. Estamos mostrando a nossa lealdade”, afirmou, ao informar que já solicitou uma agenda de Serra em Mato Grosso.