Marina culpa Maggi por deixar o ministério de Lula

A presidenciável Marina Silva (PV) apontou o ex-governador e candidato ao Senado pelo PR, Blairo Maggi, como um dos responsáveis por sua saída do Ministério do Meio Ambiente, em 2008. Além dele, foram citados os ex-ministros Reinhold Stephanes (Agricultura) e Roberto Mangabeira Unger (Assuntos Estratégicos). A declaração foi feita durante o telejornal “Bom Dia, Brasil”, …

20/09/2010 15:15



A presidenciável Marina Silva (PV) apontou o ex-governador e candidato ao Senado pelo PR, Blairo Maggi, como um dos responsáveis por sua saída do Ministério do Meio Ambiente, em 2008. Além dele, foram citados os ex-ministros Reinhold Stephanes (Agricultura) e Roberto Mangabeira Unger (Assuntos Estratégicos).

A declaração foi feita durante o telejornal “Bom Dia, Brasil”, da TV Globo, nesta segunda-feira (20), quando a candidata foi questionada a respeito de um debate em que teria dito que Maggi ficou forte dentro do Governo e ela, por sua vez, perdeu espaço.

“Eu estava em uma situação em que percebia que meu apoio estava sendo retirado. Mangabeira, Maggi e Stephanes estavam pressionando para que medidas [do plano de combate ao desmatamento] fossem revogadas”, relembrou.

O plano de desmatamento foi criado em 2004 por Marina e sua equipe e índices do próprio Ministério revelaram que, no mesmo ano, 27 mil km² haviam sido desmatados. No ano seguinte, o plano começou a ser implementado e os índices caíram para 18 mil km².

Apesar disso, Marina disse que o ex-governador Maggi começou a pressionar diretamente o presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT).

“Diziam que nossos dados, dados de institutos de pesquisa, estavam errados e quem estava certo eram os dados da Secretaria de Meio Ambiente, do governador Blairo Maggi. Quando eu percebi que eles estavam induzindo o presidente ao erro, de revogar as medidas baseadas em dados de uma secretaria, eu pedi para sair”, afirmou a ex-ministra.

De acordo com Marina, a decisão de deixar o Ministério do Meio Ambiente foi “um bem para o Governo, para a sociedade e Amazônia”, já que o desmatamento continua caindo até hoje.

A respeito do papel da atual adversária e ex-ministra chefe da Casa Civil, Dilma Roussef (PT), Marina afirmou que ela tinha apenas um “papel político de convocação”. O suporte técnico e articulação com os ministérios cabiam à própria Marina, responsável pela coordenação executiva do plano de desmatamento.

Marina também afirmou ser uma “questão de justiça” dizer que Dilma não participou, em momento algum, do processo de pressionar o presidente Lula a revogar a lei do desmatamento. “Eram eles diretamente com o presidente em uma reunião e quem liderava esse processo era o Stephanes e o Mangabeira Unger”, disse.

Outro lado

Por meio de sua assessoria de imprensa, o ex-governador Blairo Maggi informou que não vai falar sobre declarações de Marina Silva.

A decisão de não comentar o assunto foi tomada ainda na pré-campanha, segundo a assessoria, já que esta não seria a primeira vez em que a ex-ministra apontou Maggi como um dos responsáveis por sua saída do Governo Lula.