Amanhã é o último dia para 2ª via do título

Termina amanhã o prazo para a retirada da segunda via do título de eleitor. Nesta eleição é obrigatória a apresentação do título, além de um documento oficial com foto na hora de votar. Em Mato Grosso, 27.381 pessoas já retiraram a segunda via este ano. O serviço é prestado nos 61 cartórios eleitorais. As quatro …

22/09/2010 10:06



Termina amanhã o prazo para a retirada da segunda via do título de eleitor. Nesta eleição é obrigatória a apresentação do título, além de um documento oficial com foto na hora de votar.

Em Mato Grosso, 27.381 pessoas já retiraram a segunda via este ano. O serviço é prestado nos 61 cartórios eleitorais. As quatro zonas eleitorais de Cuiabá ficam na Casa da Democracia, localizado na Avenida do CPA, ao lado do Tribunal Regional Eleitoral.

A maior parte do contingente que retirou a segunda via esse ano o fez nos últimos meses, quando as propagandas de esclarecimento foram intensificadas. Apesar de todo o chamado aos eleitores pela Justiça Eleitoral, a procura ainda é fraca. As zonas eleitorais estavam fazendo plantões nos sábados e domingos para atender os eleitores, porém o movimento era pequeno, o que facilitava, pelo menos, o atendimento.

O presidente do Tribunal Regional Eleitora (TRE), Rui Ramos, teme que a população deixe para a última hora para fazer a retirada da segunda via e com isso o serviço seja mais lento. Por isso, quanto antes, melhor.

O eleitor também pode pedir a reimpressão do título. Nesse caso, não é preciso comprovar quitação eleitoral com a Justiça Eleitoral referente às outras eleições.

A obrigatoriedade para apresentação de dois documentos nesta eleição – título mais o documento com foto – é uma inovação trazida pela minirreforma eleitoral aprovada pelo congresso em 2009.

O eleitor que não votar do dia 3 de outubro e, eventualmente, no segundo turno, e não justificar a ausência ficará sujeito a uma série de penalidades. A primeira é pagar uma multa, também não pode se inscrever em concurso público; não pode receber salário de emprego público, autárquico ou de alguma forma ligado ao governo; não pode participar de concorrência pública; não pode tirar passaporte; e não pode renovar matricula em instituições de ensino públicas.