Marqueteiro se diz vítima de “calote” de Mauro Mendes

O marqueteiro Léo Pereira, contratado pelo candidato ao governo Mauro Mendes (PSB) durante os primeiros meses de campanha, enviou e-mail às redações dos veículos de comunicação de Cuiabá afirmando que possui uma pendência financeira com seu ex-patrão. “Estou levando um calote eleitoral (…) O Mauro está adotando uma postura escrota”, afirmou em entrevista. Segundo ele, …

24/09/2010 11:14




O marqueteiro Léo Pereira, contratado pelo candidato ao governo Mauro Mendes (PSB) durante os primeiros meses de campanha, enviou e-mail às redações dos veículos de comunicação de Cuiabá afirmando que possui uma pendência financeira com seu ex-patrão. “Estou levando um calote eleitoral (…) O Mauro está adotando uma postura escrota”, afirmou em entrevista.

Segundo ele, Mendes e seu coordenador financeiro, Mauro Carvalho, estão agindo com má-fé e lhe “enrolando”. “Eu e minha equipe fizemos um contrato de três meses, trabalhamos sessenta dias e só recebemos 10% do valor referente a esse período. É um calote eleitoral”, reclamou. Ele não quis informar os valores devidos.

O marqueteiro afirmou que não consegue mais falar com o candidato. “Nem o Mauro Mendes, nem o Mauro Carvalho me atendem mais. Para mim eles cortaram definitivamente as negociações. Eles estão enrolando e entendo que essa é uma forma de não nos pagar. Eles se acham no direito de não pagar as pessoas. Falta decência deles”, reclamou.

Sorje e o tapete

Léo Pereira, que reside em Goiânia e foi indicado pelo deputado Percival Muniz, reclama também de uma multa contratual. “Eles têm que pagar as parcelas vencidas e discutir uma multa comigo. A postura deles está sendo escrota; postura de quem está oferecendo um valor que não cobre nem a parte realizada do contrato”, reclamou.

O profissional da comunicação se disse “vítima de uma armação”. E acusou o publicitário Lúcio Sorje, um dos coordenadores de Mauro Mendes, de lhe “puxar o tapete”.

“O Lúcio Sorje coordenou um processo para me derrubar. Ele dizia que era meu parceiro, mas, na verdade, percebi o que estava acontecendo: ele estava infernizando o candidato contra a gente, pra puxar o nosso tapete”, disse.

“Arrogância, deslealdade e ”

O  marqueteiro disse não acreditar que falte dinheiro ao candidato Mauro Mendes para honrar o compromisso com ele e com sua equipe, de 17 pessoas.

“É má-fé mesmo… No mínimo, uma atitude de quem tem ego exacerbado, a mesma que levou à quebra do contrato. Ele não consegue enxergar o justo e negociar o justo, para colocar uma pedra em cima disso e ir para frente”, avaliou.

Ele afirmou que vem sendo “esmagado” e “pressionado”. “Estou recebendo um tratamento inadequado; estou sendo subjugado. Isso é arrogância, deslealdade nas relações. Ele não enxerga o que combinou, enxerga o outro sempre como menor, sempre acha que pode jogar o outro para escanteio e passar por cima das pessoas. Eu penso que a atitude dele está sendo essa”, afirmou Léo.

Justiça

Ele não descartou a possibilidade de acionar o candidato Mauro Mendes na Justiça, caso não haja um acordo “descente”. “Acho que dessa vez eu vou entrar sim, até porque estou cansado desse tipo de coisa em campanhas políticas, dessa falta de respeito com o trabalho da gente”, afirmou.

Outro lado

A assessoria de Mauro Mendes divulgou a seguinte nota sobre o assunto:

“No entender da coligação Mato Grosso Melhor Pra Você, o senhor Leo Pereira não tem mais qualquer valor a receber pelos serviços que prestou. O que lhe era devido já foi pago e caso ele não concorde, tem o direito de tomar as providências que considerar cabíveis.”