Empreiteiro é acusado de maus tratos em MT

O Ministério Público do Trabalho está atrás de um empreiteiro suspeito de alojar um grupo de bóias-frias em condições precárias em Arealva, no Mato Grosso. Durante uma blitz, os fiscais identificaram pelo menos quatro crimes na chácara onde os trabalhadores eram mantidos. O quarto, onde pelo menos dez trabalhadores rurais dormiam, estava bem diferente do …

02/10/2010 19:04



O Ministério Público do Trabalho está atrás de um empreiteiro suspeito de alojar um grupo de bóias-frias em condições precárias em Arealva, no Mato Grosso. Durante uma blitz, os fiscais identificaram pelo menos quatro crimes na chácara onde os trabalhadores eram mantidos.

O quarto, onde pelo menos dez trabalhadores rurais dormiam, estava bem diferente do que foi constatado pelos fiscais do Ministério Público durante fiscalização na quinta-feira. Pneus, galões e outros objetos que dividiam espaço com o grupo foram retirados. Os alimentos, acondicionados de forma inadequada, não estavam mais no freezer.

E um espaço pequeno dormiam mais de dez homens que dividiam um único banheiro. O local era quarto, cozinha e depósito de materiais. A comida acondicionada de forma inadequada. Dos 15 trabalhadores flagrados em condições de trabalho escravo, seis foram levados para um albergue em Arealva.

O Ministério Público e a Vigilância Sanitária, juntos com a Polícia Militar, voltaram à chácara onde o grupo era mantido. Eles estão atrás de pistas do homem que intermediou o serviço. Hemitério Paula de Lima está desaparecido e sendo procurado pela polícia e pelo Ministério Público. Ele é acusado de cometer pelo menos quatro crimes.

Os trabalhadores rurais foram trazidos do Paraná e de cidades do estado de São Paulo para trabalhar na lavoura de laranja, em uma fazenda em Arealva.

O grupo foi alojado nesta chácara, onde os fiscais do ministério público encontraram várias irregularidades. Os trabalhadores não tinham registro em carteira e recebiam apenas dez reais por dia para colher a fruta. Os bóias frias eram proibidos de sair da fazenda durante a noite.

Na fiscalização na quinta-feira um homem foi preso por porte ilegal de arma e a policia ainda apreendeu no local uma espingarda e munições. Hemitério Paula de Lima pode responder judicialmente pelos crimes de cárcere privado, aliciamento, agressão física e tráfico de drogas.