TRE conta com a ajuda de 25 mil pessoas

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) realizou ontem uma audiência pública de prestação de contas dos trabalhos da eleição 2010. Conforme o presidente do órgão, desembargador Rui Ramos, 25 mil pessoas estão envolvidas. O custo total será de R$ 10 milhões. Com toda a tecnologia da Justiça Eleitoral, a previsão é de que, se tudo ocorrer …

02/10/2010 07:52



O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) realizou ontem uma audiência pública de prestação de contas dos trabalhos da eleição 2010. Conforme o presidente do órgão, desembargador Rui Ramos, 25 mil pessoas estão envolvidas. O custo total será de R$ 10 milhões.

Com toda a tecnologia da Justiça Eleitoral, a previsão é de que, se tudo ocorrer bem, o resultado dos vencedores do pleito sai na noite de domingo ainda.

Em Mato Grosso, são 66 zonas eleitorais, com 1.528 locais de votação e 7.059 urnas. Muitos dessas seções ficam em lugares de difícil acesso, como em aldeias indígenas e comunidades rurais no interior no Estado. Para facilitar o processo de apuração, este ano 83 técnicos judiciários vão transmitir a contabilização das seções via satélite ao TRE.

Um desses lugares será a aldeia Metutirê, em Peixoto de Azevedo, que trocou de posição desde a última eleição. O secretário de Tecnologia da Informação, Ailton Lopes, contou que foi preciso ir até a aldeia para pegar as novas coordenadas para o dia da eleição. Segundo o técnico, entre outros motivos, os índios mudaram de local porque ajudaram no resgate das vítimas do acidente da Gol, que caiu em Mato Grosso e que os espíritos das pessoas mortas no acidente estavam rondando a aldeia, conforme alegam os próprios índios.

Apesar da distância, é justamente desses lugares que o resultado costuma chegar mais rápido, pois o resultado é passado via satélite, enquanto as urnas de Cuiabá, por exemplo, precisam ser lacradas e enviadas ao local de apuração e, geralmente, enfrenta congestionamento na cidade.

No total, são 83 locais de difícil acesso, onde serão utilizados barcos e helicópteros para o transporte de pessoal e urnas.

Na audiência também foram apresentados dados judiciários. Conforme o chefe da secretária judiciária do Tribunal, Breno Gasparotto, só este ano, foram recebidas 318 representações, dado que demonstra a guerra eleitoral entre as coligações nesta eleição. Os julgamentos do Pleno também têm uma curva ascendente em ano eleitoral. Só este ano foram publicados 1.147 acórdãos.

Nos cartórios eleitorais o trabalho também foi intenso. De 26 de abril a 5 de maio deste ano, foram realizados 68.326 atendimentos para alistamento eleitoral e transferência de título. Foram feitos também mutirões para atendimento externo, cadastramento de presos provisórios.

Apesar de toda a logística e preparação para a eleição, Rui Ramos alerta que o resultado final das eleições 2010 só sairá depois do julgamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) dos recursos que estão naquela corte. Em Mato Grosso há 44 candidatos concorrendo sub judice, ou seja, com pendências na Justiça. Depois da eleição, o TSE vai decidir se esses candidatos poderiam ou não concorrer neste pleito. O desembargador acredita que até o dia 16 de dezembro, data da diplomação dos eleitos, tudo já esteja resolvido. Desse modo, evitará o constrangimento de algum candidato tomar posse e depois ter que sair por decisão da Justiça.