Silval e Maggi participam de reunião ‘pró-Dilma’

O governador Silval Barbosa (PMDB) e o senador eleito Blairo Maggi (PR) participaram ontem de um encontro em Brasília com a candidata a presidente do Brasil, Dilma Rousseff (PT), que vai disputar o segundo turno contra o tucano José Serra (PSDB). Em Mato Grosso, a petista perdeu para o presidenciável tucano. Um dia depois do …

05/10/2010 10:36



O governador Silval Barbosa (PMDB) e o senador eleito Blairo Maggi (PR) participaram ontem de um encontro em Brasília com a candidata a presidente do Brasil, Dilma Rousseff (PT), que vai disputar o segundo turno contra o tucano José Serra (PSDB). Em Mato Grosso, a petista perdeu para o presidenciável tucano.

Um dia depois do resultado que mostrou a necessidade de um novo pleito, a candidata já realizou uma reunião com governadores, senadores e deputados eleitos do arco de aliança para definir estratégia para essa nova fase da campanha.

Silval pode ser o coordenador da campanha de Dilma em Mato Grosso nesta etapa pela força de ser governador e ter sido reeleito no primeiro turno, além da disponibilidade de tempo.

Em Mato Grosso, Dilma vai precisar muito da ajuda de Silval e Maggi, já que no Estado ela perdeu para José Serra (PSDB). Dos 27 Estados, ela venceu em 18.

A ex-ministra esteve em Mato Grosso fazendo campanha e, principalmente, dando força ao palanque da coligação Mato Grosso em Primeiro Lugar, que tinha o governador Silval Barbosa à reeleição, e Blairo Maggi e o deputado federal Carlos Abicalil (PT) candidatos ao Senado. Agora o jogo se inverteu e Dilma precisa da ajuda dos companheiros da coligação. Eleito com mais de um milhão de votos, Maggi pode ter grande importância para Dilma.

No âmbito nacional, Maggi é um dos principais nomes no setor do agronegócio. Depois de sete anos e três meses de governo, o ex-governador, hoje senador eleito, saiu com alto índice de aprovação do governo.

Apenas o petista não conseguiu a eleição. Entretanto Abicalil também estará empenhado na eleição da ex-ministra. Além do sentimento partidário, ele também é cotado para ocupar um cargo no governo de Dilma, se eleita.

A ideia da reunião foi definir a estratégia de campanha a partir de ações dos governadores e outras lideranças políticas de cada Estado. O encontro reuniu governadores do Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Ceará, além de senadores e deputados eleitos e ministros do governo.