Governo de Mato Grosso reúne entidades no enfrentamento contra a dengue

O Governo do Estado de Mato Grosso por meio da Secretaria de Estado de Saúde se reuniu com entidades públicas, filantrópicas, segmentos da sociedade civil organizada, organizações não governamentais a fim de apresentar a política Estadual de enfrentamento da dengue que orienta as ações dos governos (Federal, Estadual e Municipal), no que se referem às …

15/10/2010 15:08



O Governo do Estado de Mato Grosso por meio da Secretaria de Estado de Saúde se reuniu com entidades públicas, filantrópicas, segmentos da sociedade civil organizada, organizações não governamentais a fim de apresentar a política Estadual de enfrentamento da dengue que orienta as ações dos governos (Federal, Estadual e Municipal), no que se referem às deliberações de cada ente federado, compromisso e obrigações a fim de estabelecer ações conjuntas e integradas na atenção e no enfrentamento do combate à dengue no Estado de Mato Grosso.

A representante do Governo do Estado que exerce a função de secretária Executiva do Comitê Interinstitucional de Mobilização, Prevenção e Controle da Dengue, de Mato Grosso (CIMPCD/MT), Cecília Cintra disse que um dos objetivos da atuação de todos esses segmentos é que ocorra a efetiva participação de diversas estruturas responsáveis constituídas nas funções de apoio à Gestão Estratégica do Estado no enfrentamento da dengue.

Segundo Cecília, para que as ações do Governo tenham ainda maior êxito é necessário a incorporação da população no que tange as diretrizes para a prevenção e controle da dengue. “O desenvolvimento de práticas educativas tem por base as ações de comunicação que fomentam e incentivam a adesão das pessoas de maneira consciente e voluntária, para fazer chegar a cada indivíduo o que compete no enfrentamento da dengue”, disse ela.

Dessa forma recomenda-se que as mensagens de comunicação, no que compete a ação dos cidadãos, deve ser ainda referendado sobre a eliminação dos criadouros do mosquito da dengue que na sua grande maioria está dentro da casa de cada cidadão. “O mosquito da dengue precisa de água parada fazer a desova e uma das ações para evitar criadouros do mosquito é não deixar o mosquito nascer, vigiando seu quintal, sua casa observando qualquer ponto de água parada e atentando para limpeza do quintal”, disse Cecília.

As ações devem ser desenvolvidas acordadas com as diretrizes nacionais e estaduais para prevenção e controle de epidemias de dengue, o que auxiliará os municípios nas organizações de ações de prevenção e controle em períodos de baixas transmissões ou situações epidêmicas, contribuindo dessa forma para evitar ocorrências de óbitos e para reduzir o impacto das epidemias de dengue.

O Estado estará trabalhando nas várias frentes, junto com os 141 municípios quer seja na assistência, pelo fato de que a qualidade prestada no atendimento ao paciente os óbitos podem ser evitados. Ainda no ítem assistência, o Ministério da Saúde, desenvolveu um trabalho já enviado a todos os médicos do país com informações sobre a classificação de risco para a prioridade de atendimento, visando a aceleração do diagnóstico, atendimento e internação, quando for o caso, contribuindo para organização do fluxo de pacientes e priorização do atendimento dos casos de acordo com a gravidade.

No controle vetorial, através de pesquisas realizadas pelos municípios, que são levantamentos rápidos de índices entomológicos (LIRAa), visitas domiciliares feitas pelos agentes de saúde, controle químico, além das atividades preconizadas nas diretrizes do plano de contingência da dengue.

O Estado já prepara uma etapa de ação a ser executada na região metropolitana em parceria com os municípios que agregam na limpeza de bolsões de lixos. Os municípios de Cuiabá e Várzea Grande, dentro dos seus planos estratégicos possuem ações que já vêm sendo desenvolvidas e que permitem resultados importantes no controle da doença e na proliferação do mosquito da dengue, o que será agregada a todas as ações para que se tenha êxito no enfrentamento das epidemias.

Cecília Cintra informou aos participantes que o Estado tem uma importante ferramenta, que é o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde, que está a disposição dos gestores municipais no acompanhamento da situação epidemiológica de cada um e a disponibilização de ações e informações a serem desencadeadas e retificou a necessidade da mobilização das entidades envolvidas na condução das ações de enfrentamento da dengue.

Participam do Comitê representantes das seguintes entidades: Conselho Regional de Corretores de Imóvel, Comando da Polícia Militar, Universidades de Cuiabá e Várzea Grande (Públicas e Particulares), Empresa Brasileira de Infra Estrutura Aeroportuária, MT Laboratório, Hospitais Públicos e Privados, Secretarias Municipais de Saúde de Cuiabá e Várzea Grande, Fundação Nacional de Saúde, Diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Diretoria da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, Superintendência da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil, Federação Matogrossense das Associações dos Moradores de Bairro, 13ª Brigada da Infantaria Motorizada, Procuradoria Geral do Estado, Conselho dos Secretários Municipais de Saúde, Tribunal de Justiça, Ministério Público, Associação Matogrossense dos Municípios, Serviço Social do Comércio, Federação das Indústrias e Comércios de Mato Grosso (Fiemt), Secretaria Estadual de Educação (Seduc), Secretaria de Infraestrutura (Sinfra), Assembléia Legislativa de Mato Grosso, Secretaria de Estado de Comunicação Social, Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, Agencia de Regulação dos Serviços Públicos Delegados e Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).