Decisões da Agecopa, agora, passam pelo governador

O governador reeleito Silval Barbosa (PMDB), em reunião na manhã desta segunda-feira(18), com os seis membros da Agecopa (Agência Estadual de Projetos da Copa de 2014), anunciou mudanças na legislação e afirmou que vai participar diretamente das decisões do órgão. “Vamos definir as alterações, mas quero que todas as decisões da Agecopa passe pelo governador”, …

18/10/2010 16:14



O governador reeleito Silval Barbosa (PMDB), em reunião na manhã desta segunda-feira(18), com os seis membros da Agecopa (Agência Estadual de Projetos da Copa de 2014), anunciou mudanças na legislação e afirmou que vai participar diretamente das decisões do órgão. “Vamos definir as alterações, mas quero que todas as decisões da Agecopa passe pelo governador”, adiantou.

A tendência é de que a Agecopa deixe de ter sete diretorias, ficando com seis. Com isso, a presidência, cargo deixado vago recentemente pelo ex-prefeito do Rondonópolis, Adilton Sachetti, será extinta e o governador fará as vezes do presidente. “Hoje, a Agecopa é vinculada ao gabinete, mas quero estar participando das decisões diretamente”, declarou.

Silval disse que as mudanças serão definidas pela Procuradoria Geral do Estado (PGE), juntamente com a equipe de planejamento da Agecopa, para depois serem encaminhadas à Assembléia Legislativa. “Serão mudanças buscando dar mais agilidade nos trabalhos e também para que o governador esteja desempenhando esse papel de presidente”, revelou.

O governador informou que a direção da Agecopa, com a saída de Sachetti, continuará interinamente sob a responsabilidade de Yênes Magalhães, que acumula a Diretoria de Planejamento e Gestão. Ele não apontou uma data para a indicação de um novo presidente, descartando a possibilidade de acumular a função. “Eu não vou ser presidente, mas quero trazer a responsabilidade pra mim”, afirmou.

Quanto à polêmica em torno da figura do ordenador de despesa, Silval disse que os gastos, a princípio, devem ficar sob comando das diretorias de Planejamento e Finanças. “Vamos discutir essa questão; hoje, a responsabilidade está com cada diretor. Tiramos várias sugestões e vamos verificar isso”, declarou.

Caso fique definido que a Agecopa continuará com sete diretorias, Silval destacou que o perfil desse diretor terá que contemplar as partes técnica e políticas. “A Agecopa precisa ter esse perfil técnico e precisa ter essa habilidade política para ir buscar recursos no Congresso Nacional”, explicou.

Participaram da reunião com o governador os diretores Roberto França (Comunicação e Marketing); Yênes Magalhães (Planejamento e Gestão); Yuri Bastos Jorge (Assuntos Estratégicos); Carlos Brito (Infraestrutura); Jefferson de Castro (Orçamento e Finança); Agripino Bonilha Filho (Articulação Interinstitucional).