Governador e prefeito viajam à Bolívia

A partir de hoje o governo de Mato Grosso e a prefeitura de Cuiabá serão comandadas pelo presidente da Assembleia Legislativa, Mauro Savi (PR), e pelo presidente da Câmara, Deucimar Silva (PP). O governador Silval Barbosa (PMDB) e o prefeito Chico Galindo (PTB) viajam para a Bolívia para resolver a pendência sobre o abastecimento do …

20/10/2010 09:09



A partir de hoje o governo de Mato Grosso e a prefeitura de Cuiabá serão comandadas pelo presidente da Assembleia Legislativa, Mauro Savi (PR), e pelo presidente da Câmara, Deucimar Silva (PP). O governador Silval Barbosa (PMDB) e o prefeito Chico Galindo (PTB) viajam para a Bolívia para resolver a pendência sobre o abastecimento do gás natural em Cuiabá paralisado há três anos. A programação da viagem ao exterior se estende por dois dias.

O governador não vai fazer nenhuma solenidade de transmissão de cargo. Tão logo deixe o território nacional, o presidente da Assembleia assume o cargo. A viagem de Barbosa está programada para às 14h. Já Galindo vai repassar o cargo para o progressista em um ato hoje pela manhã na prefeitura. A Câmara da Capital autorizou a viagem do prefeito na sessão de ontem.

Galindo vai acompanhar o governador até La Paz, Bolívia, para negociar com a estatal boliviana Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) a garantia do abastecimento permanente da Usina Termelétrica Mário Covas, no Distrito Industrial de Cuiabá.

A cerimônia de posse de Deucimar acontece às hoje 11h, no salão nobre do Palácio Alencastro. No lugar de Deucimar na Câmara assume a presidência o vereador Adevair Cabral (PDT), primeiro-vice-presidente.

Deucimar quer despachar, se possível, todos os dias do mandato interino do pronto-socorro da Capital, já que no gabinete da prefeitura “não haverá muita coisa o que fazer pelo curto espaço de tempo”. Conforme Deucimar, como vereador ele não pode ficar entrando no hospital, já como prefeito interino vai ter autoridade para acompanhar o funcionamento da instituição de saúde.

No final dos quatro dias, ele pretende elaborar um relatório e entregar ao prefeito Galindo para relatar o que viu e ajudar a melhorar a estrutura.

O vereador adianta que até o final do mandato pode surgir oportunidade de ele assumir a prefeitura por mais tempo. Sem entrar em detalhes do motivo, Deucimar disse há a chance de ele ficar no comando do Executivo por até 20 dias.

No governo do Estado, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Mauro Savi (PR), também assume interinamente o governo.

Conforme a legislação, quando o chefe do Executivo deixa o território nacional o substituto direto deve assumir o cargo. Nos dois casos, governador e prefeito estão sem vice, já que os dois eram vice e assumiram prefeitura e Estado quando os titulares deixaram os postos em março deste ano para concorrer na eleição 2010. Mesmo sendo uma viagem institucional, os substitutos naturais devem assumir.

Na Bolívia, a comitiva brasileira quer garantir a retorno dos trabalhos na usina, que estão parados há três anos, e aumentar a viabilidade do gás natural em Mato Grosso.

Esta é a primeira vez que o prefeito Galindo e o governador Silval se ausentam do país após assumir definitivamente a administração municipal e estadual.