Corregedoria promete analisar 16 ações antes da diplomação

 Apesar de ter garantido a reeleição em primeiro turno, o governador Silval Barbosa (PMDB) ainda precisará passar pelo crivo da Justiça Eleitoral antes de ser diplomando para assumir o comando do Paiaguás pelos próximos quatro anos. Junto com seu vice, Chico Daltro (PP), ele é alvo em oito das 16 Ações de Investigação Judicial Eleitoral …

22/10/2010 15:16



 Apesar de ter garantido a reeleição em primeiro turno, o governador Silval Barbosa (PMDB) ainda precisará passar pelo crivo da Justiça Eleitoral antes de ser diplomando para assumir o comando do Paiaguás pelos próximos quatro anos. Junto com seu vice, Chico Daltro (PP), ele é alvo em oito das 16 Ações de Investigação Judicial Eleitoral que tramitam na corregedoria do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

   As ações referem-se às eleições de 2010. Além de Silval, também são representadas as chapas de Wilson Santos (PSDB), em duas ações, e de Mauro Mendes (PSB), em uma. As demais são destinadas a candidatos aos cargos de deputado. O corregedor, desembargador Márcio Vidal, destacou que a meta é concluir as investigações antes da diplomação, agendada para 16 de dezembro.

   Nas ações, que correm sob sigilo, são investigadas denúncias relacionadas à abuso de poder político e econômico. De acordo com o resultado das investigações, os processos podem resultar em impugnação do mandato eletivo, cassação do registro da candidatura e declaração de inelegibilidade. Elas podem ser propostas por qualquer candidato ou coligação após o resultado do pleito, ou ainda, pelo próprio Ministério Público Eleitoral.