TCE fiscaliza gastos da Agecopa

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) está analisando os aditamentos que os contratos de construção do Verdão sofreram desde o início das obras. Para o conselheiro Antônio Joaquim, responsável pela fiscalização dos recursos públicos empregados nas obras para a Copa do Mundo de 2014, as alterações ainda no início das obras indicam falta de …

22/10/2010 15:09



O Tribunal de Contas do Estado (TCE) está analisando os aditamentos que os contratos de construção do Verdão sofreram desde o início das obras. Para o conselheiro Antônio Joaquim, responsável pela fiscalização dos recursos públicos empregados nas obras para a Copa do Mundo de 2014, as alterações ainda no início das obras indicam falta de planejamento. “Não houve projetos elaborados de uma forma mais profunda, com maior conhecimento do que realmente seria executado”, afirmou. O auditor questionou ainda a composição das diretorias da agência. “Quem discute com nossos auditores sobre os projetos é um psicólogo”, contou o conselheiro, que apoia a intervenção do governo na gestão.

    O diretor de Infraestrutura da Agecopa, Carlos Britto, se defendeu alegando que todos os técnicos atuam dentro de áreas para as quais são habilitados. “O técnico pode ser também um psicólogo, mas está monitorando as informações dentro de uma área para qual tem habilitação”. Ele disse ainda que as mudanças nos valores dos contratos foram feitas dentro do prazo. “Verificou-se o que não estava previsto no início das obras e tudo foi feito dentro do tempo certo. Dentro do que tecnicamente foi apontado como necessidade”, afirmou.

    Outro questionamento do Tribunal de Contas é o fato do presidente da Agecopa ser o único responsável pela ordenação de despesas. “Se eu fosse o presidente de uma instituição como essa não gostaria de ser o único responsável pelos gastos. Se tem diretores para cada área eu gostaria de dividir essas responsabilidades”, afirma o conselheiro Antônio Joaquim. De acordo com Carlos Britto, a responsabilidade é dividida entre as diretorias de Planejamento e Gestão e de Orçamento e Finanças. “Nós entendemos que entre essas duas diretorias devem estar as atribuições de ordenação de despesas e do mecanismo de controle”, disse.