Delegado de MT é preso

O delegado da Polícia Civil de Mato Grosso Arnaldo Agostinho Sottani está preso no município do Catalão (250 km a sudeste de Goiânia-GO), na divisa com Minas Gerais, desde o dia 25 de outubro. As informações da polícia goiana são de que o policial teria ligações com um esquema de tráfico de drogas, mas não …

29/10/2010 09:11



O delegado da Polícia Civil de Mato Grosso Arnaldo Agostinho Sottani está preso no município do Catalão (250 km a sudeste de Goiânia-GO), na divisa com Minas Gerais, desde o dia 25 de outubro. As informações da polícia goiana são de que o policial teria ligações com um esquema de tráfico de drogas, mas não foi apreendido entorpecente algum com o delegado. Ele está licenciado da polícia mato-grossense desde o dia 25 de setembro, pelo período de 90 dias, para tratamento de saúde.

O coordenador do Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (Genarc) da cidade de Catalão (GO), Victor Margon, informou que o delegado está com a prisão temporária decretada por 30 dias. Na segunda-feira, o delegado pilotava um avião e seguia em direção a uma cidade no interior de Minas. Por questões climáticas, teve que fazer um pouso em Catalão. Havia, no entanto, a suspeita de que o avião trouxesse um carregamento de drogas. Então, policiais do Genarc fizeram uma vistoria e nada encontraram. Apesar disso, o Genarc solicitou a prisão temporária do delegado.

Ainda na segunda-feira, o delegado Arnaldo ligou para um policial em Cuiabá solicitando o telefone de algum delegado corregedor em Goiás, embora não fornecesse nenhum detalhe. Conforme a Corregedoria, o delegado não entrou em contato. Somente ontem foi que a polícia de Goiás informou à Corregedoria da Polícia Civil de Mato Grosso a respeito da prisão do delegado. O delegado do Genarc goiano não forneceu mais detalhes da prisão. Ele se limitou a informar que “todas as medidas cabíveis no caso foram tomadas”.

EM SINOP – Desde 2002 como delegado de polícia, Arnaldo Sottani trabalhou na Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos (Derrf) da Capital e no plantão metropolitano. Há cinco anos ele foi transferido para a Delegacia Municipal de Alta Floresta. Em seguida, para Pontes e Lacerda e, ultimamente atuava em Comodoro. Em 2008 Sottani também atuou em Sinop, quando assumiu a vaga do delegado Richard Damasceno Lage, preso durante a Operação Arrego, acusado de receber propina do esquema do jogo do bicho.

Sottani ficou em Sinop menos de um ano, mas nesse período, se envolveu em uma confusão, no mês de maio, em um bar no centro da cidade, que terminou com dois homens detidos. Conforme explicou  na época, Sottani tentou conter um jovem que estaria causando transtornos, querendo bater em algumas moças. O delegado contou que tentou intervir e, identificando-se como tal, sacou uma arma. Durante a ação o delegado não disse que não chegou a apontar a arma, mas que o jovem que estaria causando confusão tentou desarmá-lo, chegando a tirar a arma de sua mão, mas a devolveu assim que viu a identificação de Sottani.

Ainda em abril de 2008, Sottani, junto com outros delegados e policiais civis, foi denunciado pelo Ministério Público por “práticas arbitrárias”. Ele era acusado de abuso de autoridade contra cidadãos e advogados e tortura e omissão. Na época, Sottani disse que ele e os outros acusados haviam sido absolvidos em um processo administrativo em 2006 e que não tinha conhecimento da denúncia do MP.

No final da tarde, a Polícia Civil emitiu uma nota através da assessoria de imprensa, informando que a Corregedoria Geral está acompanhando o caso, inclusive recebendo cópia do procedimento policial e vai instaurar processo administrativo disciplinar contra o delegado.