Brasil terá o melhor Natal dos últimos dez anos em 2010, diz Lula

Em visita ao 26º Salão do Automóvel na sexta-feira (29), em São Paulo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva comemorou os indicadores econômicos e sociais do país e disse não ter dúvidas de que, em 2010, os brasileiros terão o “mais importante Natal dos últimos dez anos”. – Eu estou convencido de que o …

30/10/2010 08:53



Em visita ao 26º Salão do Automóvel na sexta-feira (29), em São Paulo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva comemorou os indicadores econômicos e sociais do país e disse não ter dúvidas de que, em 2010, os brasileiros terão o “mais importante Natal dos últimos dez anos”.

– Eu estou convencido de que o Brasil continua vivendo um momento excepcional de sua história, seja do ponto de vista do crescimento econômico, seja do ponto de vista da distribuição de renda, seja do ponto de vista da geração do emprego, seja do ponto de vista das possibilidades do comércio para o final do ano. Eu não tenho dúvida nenhuma que nós teremos o mais importante Natal dos últimos dez anos nesse Natal agora.

Durante a visita ao evento, a qual durou um pouco mais de duas horas, o presidente esteve nos estandes das principais indústrias automobilísticas que possuem fábricas no país – como Fiat , Ford, Chevrolet, Volkswagen, Kia, entre outros.

Lula fez questão de entrar em alguns automóveis para “experimentá-los”, autografou um veículo e posou para fotos.

Ao deixar a exposição, o presidente destacou a importância da indústria automobilística para o avanço do comércio nacional.

Em tom bem-humorado, afirmou que o Brasil deve ultrapassar a China, os Estados Unidos e o Japão, se esses países “vacilarem”.

– Nós éramos até outro dia o sexto país produtor de automóvel do mundo. Nós somos o 4º país de automóvel, ou seja, se os chineses e os americanos vacilarem, daqui a pouco, nós estamos passando eles e o Japão. É bom eles acabarem logo com a recessão pra gente enviar nossos produtos pra lá.

Lula também comemorou os números relativos ao índice de emprego no país, divulgado nesta semana pelo IBGE, e disse que o país não tem como “retroceder”.

– Em algumas cidades, nós temos índices que são considerados em qualquer parte do mundo pleno emprego. Eu vejo como horizonte de futuro só melhora pro Brasil. Ou seja, nós entramos numa fase que não há como o Brasil retroceder. […] Portanto, eu acho que o caminho está totalmente sólido para que o Brasil se transforme rapidamente em uma economia avançada.