Silval convida prefeitos e lança plano estadual de habitação

O governador Silval Barbosa (PMDB) lança nesta segunda (8) o Plano estadual de Habitação e Interesse Social (Pehis) . A ideia é implementar um grande programa para manter o mesmo ritmo de construção de casas, que foram feitas na época que o Paiaguás era comandado por Blairo Maggi (PR), tendo o peemedebista como vice. Mais …

07/11/2010 19:48



O governador Silval Barbosa (PMDB) lança nesta segunda (8) o Plano estadual de Habitação e Interesse Social (Pehis) . A ideia é implementar um grande programa para manter o mesmo ritmo de construção de casas, que foram feitas na época que o Paiaguás era comandado por Blairo Maggi (PR), tendo o peemedebista como vice. Mais de 60 mil residências foram construídas e este foi um dos principais “carros-chefe” da campanha vitoriosa de Silval, que se reelegeu no primeiro turno.

  Durante a corrida eleitoral ele prometeu investir pesado no setor e ao que parece pretende começar antes mesmo do início de seu novo mandato. O plano de habitação, que pretende diminuir o déficit habitacional nos municípios, será lançado nesta segunda às 9h, no auditório da secretaria de Infraestrutura (Sinfra). A iniciativa é uma parceria entre as secretarias de Trabalho, Emprego, Cidadania e Assistência Social (Setecs), de Planejamento (Seplan) e Sinfra. Como trata-se de um projeto amplo, todos os 141 prefeitos foram convidados.

  Na elaboração do Pehis será definido como os recursos do Fundo estadual de Habitação de Interesse Social (Fehis) serão aplicados e posteriormente o documento passará pelo Conselho Estadual das Cidades. Assim, Silval quer ter um amplo diagnóstico do setor habitacional para que possa planejar melhor os investimentos.

  Para tanto vão ser avaliadas as fontes de recursos, metas e indicadores às regiões de Mato Grosso. Além disso, os prefeitos tomarão conhecimento sobre as responsabilidades dos governos federal, estadual e municipal neste processo.

  Alta Floresta, Barra do Garças, Cáceres, Cuiabá, Diamantino, Juara, Sinop, Sorriso, Tangará da Serra, Juína, Rondonópolis e Vila Rica serão sede das audiências para debater o assunto. “A política nacional de habitação pretende levar em consideração as especificidades de cada região e município do país. Por isso, devem ser levadas em consideração informações, fotos, mapas e demais materiais comprobatórios que descrevam ou demonstrem as necessidades habitacionais locais”, pontua a superintende de Habitação da Setecs, Lúcia Andrade.