Cinco concorrem para a Defensoria Geral

Os defensores públicos de Mato Grosso vão às urnas hoje escolher o novo defensor-geral do Estado. Cinco concorrentes estão na disputa: o atual chefe da defensoria, Djalma Sabo Mendes, que tenta a reeleição, além dos defensores André Prietto, Edson Jair Weschter, José Carlos Evangelista e Valdenir Luiz Pereira. Ao todo, 147 defensores irão votar incluindo, …

12/11/2010 09:46



Os defensores públicos de Mato Grosso vão às urnas hoje escolher o novo defensor-geral do Estado. Cinco concorrentes estão na disputa: o atual chefe da defensoria, Djalma Sabo Mendes, que tenta a reeleição, além dos defensores André Prietto, Edson Jair Weschter, José Carlos Evangelista e Valdenir Luiz Pereira.

Ao todo, 147 defensores irão votar incluindo, 26 aprovados no concurso público, nomeados em agosto deste ano. Só haverá um local de votação na sede administrativa do órgão, no Centro Político Administrativo. A votação acontece das 12h às 17h.

Os defensores vão escolher na verdade uma lista tríplice. A lista com os nomes mais votados seguem para o governador Silval Barbosa (PMDB), que escolhe o novo defensor-geral. Cada defensor tem direito a votar em três candidatos, já que será formada uma lista tríplice.

A comissão eleitoral tem o dia 30 deste mês para encaminhar a lista e o governador Silval Barbosa, que tem um prazo de 15 dias para anunciar o escolhido. A posse está prevista para o dia 2 de janeiro. O novo chefe será responsável por um orçamento de R$ 54 milhões. O mandato é de dois anos.

De acordo com o primeiro subdefensor, Silvio Jéferson Santana, é a primeira vez que a defensoria tem mais de dois candidatos. Na eleição passada, a votação na primeira fase da disputa não influenciou a escolha do então governador Blairo Maggi (PR). Djalma concorria com a Karol Rotini, que tentava a reeleição e foi a mais votada pelos colegas da classe. Porém, o republicano nomeou Sabo Mendes.

Embora afirme que está longe do processo eleitoral, Rotini confirmou que apóia as candidaturas de José Carlos Evangelista e Edson Weschter, articuladas por ela, além de André Pietro. Nos bastidores, comenta-se que a estratégia é deixar Djalma de fora da lista tríplice.

Correndo por fora ainda está Valdenir Luiz Pereira, irmão do deputado federal Valtenir Pereira (PSB). Ele não planejava a candidatura. Ele se coloca como uma “via alternativa aos dois blocos de situação e oposição”. Com três anos e meio de Defensoria, Valdenir, que atua nas comarcas de Matupá e Peixoto de Azevedo e é o único candidato do interior.

A presidência da Comissão Eleitoral estava sob o comando do defensor Ademar Monteiro, mas por motivo de foro íntimo ele declarou suspeição e passou o controle para Ana Leonarda, que já fazia parte da comissão.

Hoje também acontece a eleição para escolha dos membros do Conselho da defensoria. Com seis vagas, 15 pessoas concorrem aos cargos. Na votação, cada defensor pode escolher seis pessoas. Concorrem aos cargos de conselheiros Air Praeiro Alves, Ana Cristina Pereira de Souza Vidal, André Renato Robelo Rossignolo, Carlos Eduardo Roika Junior, Danielle Cristina Preza Daltro Dorilêo, Danielle Pereira Vilas Boas Biancardini, Francisco Framarion Pinheiro Júnior, Gisele Chimatti Berna, João Paulo Carvalho Dias, Maria Luziane Ribeiro, Marcelo Rodrigues Leirião, Marcos Rondon Silva, Rodrigo Bassi Saldanha, Silvio Jeferson de Santana e Tânia Regina de Matos.