‘Dutrinha’ passará por melhorias para a Copa do Brasil

Com o início da Copa do Brasil em fevereiro, as preocupações se voltam para a estruturação do Estádio Presidente Dutra, em Cuiabá. Com sua capacidade limitada em 4 mil pessoas, vestiários e iluminação precária, as condições do ‘Dutrinha’ foi a tônica de uma grande reunião de trabalho realizada na sexta-feira (26.11), entre a Secretaria de …

27/11/2010 08:40



Com o início da Copa do Brasil em fevereiro, as preocupações se voltam para a estruturação do Estádio Presidente Dutra, em Cuiabá. Com sua capacidade limitada em 4 mil pessoas, vestiários e iluminação precária, as condições do ‘Dutrinha’ foi a tônica de uma grande reunião de trabalho realizada na sexta-feira (26.11), entre a Secretaria de Estado de Esportes e Lazer (Seel), Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) e Agecopa.

As preocupações giram em torno do atendimento às exigências mínimas apresentadas pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para os estádios que irão receber os jogos da Copa do Brasil, a partir de fevereiro. Entre as soluções propostas pela Seel e FMF está a aquisição ou aluguel de arquibancadas móveis que seriam instaladas acima das arquibancadas de alvenaria existentes no estádio. Novos vestiários e uma nova iluminação também fariam parte do plano de melhoria do Dutra.

O secretário da Seel, Laércio de Arruda, propôs à Agecopa que faça uma avaliação técnica das necessidades básicas do Dutra para que os custos de implementação sejam apresentados ao governador Silval Barbosa. A preocupação de Laércio está no atendimento às exigências da Copa do Brasil, que terá o Cuiabá Esporte Clube como representante em 2011. “Temos que dar condições para que o torcedor cuiabano possa ter o seu time jogando em casa, além de garantirmos mais uma possibilidade de lazer à população”, afirma Laércio.

Apesar de não acenar como solução para as exigências da Copa do Brasil de 2011, a possibilidade do Estádio Presidente Dutra dar lugar a um dos centros de treinamento para a Copa de 2014 surge como mais um projeto estruturante para a capital cuiabana. Segundo o diretor de Articulação Interinstitucional da Agecopa, Agripino Bonilha Filho o assunto está sendo avaliado pela agência que definirá na próxima semana sobre a utilização ou não do espaço para a construção do CT.

Caso seja aprovada a construção, o estádio sofrerá reparos básicos para atender ao calendário de 2011, sendo demolido apenas em 2012, após a construção do CT de Várzea Grande, que passará a concentrar os eventos a partir desta data. Outra questão que gira em torno da construção do CT no bairro do Porto é o processo de desapropriação e destombamento da área, que pertence à Federação de Futebol.

A manutenção do apoio ao futebol profissional também foi discutida durante a reunião. Segundo Laércio existe a possibilidade de manutenção do apoio por parte do Governo do Estado, que depende da aprovação da ‘Lei de Incentivo ao Futebol’, como também, do montante que será destinado para o orçamento da Seel em 2011. “O governo do estado acena positivamente, mas em grande dependerá dos deputados”, analisa Arruda.

Estiveram presentes a reunião o secretário de Estado de Esportes e Lazer (Seel), Laércio de Arruda; a secretária-adjunta de Estado de Esportes e Lazer (Seel), Janete Carvalho; o diretor de Articulação Interinstitucional da Agecopa, Agripino Bonilha Filho; o superintendente da Federação Mato-grossense de Futebol (FMF), Altair Cavaglieri; o diretor Financeiro da FMF, Luis Carlos Dorileo; o coordenador de Lazer da Seel, Hélio Machado, entre outros técnicos.