Mesmo sob pressão, Silval manterá Eder na Casa Civil e na cota do PR

O executivo Eder de Moraes entrou na cota do PR e será mantido na Casa Civil. A articulação foi fechada em reunião entre a direção regional do partido, sob o deputado federal Wellington Fagundes, e o governador reeleito Silval Barbosa. Embora o nome do secretário enfrente resistência da maioria dos deputados estaduais, a legenda republicana …

01/12/2010 13:44



O executivo Eder de Moraes entrou na cota do PR e será mantido na Casa Civil. A articulação foi fechada em reunião entre a direção regional do partido, sob o deputado federal Wellington Fagundes, e o governador reeleito Silval Barbosa. Embora o nome do secretário enfrente resistência da maioria dos deputados estaduais, a legenda republicana resolveu comprar a briga pela indicação. Muitos consideram Eder um interlocutor inconsequente, afoito nas decisões e que estaria dificultando a relação do Palácio Paiaguás com os Poderes, além de carregar uma imagem desgastada politicamente. Por outro lado, o governo reconhece se tratar de um secretário dedicado, estratégico e que enfrenta adversários como poucos na defesa da administração.

    Eder está no staff desde a chegada de Blairo Maggi à cadeira de governador, em janeiro de 2003. Começou como presidente do MT Fomento e depois assumiu a pasta da Fazenda. A partir de março deste ano foi remanejado à Casa Civil e mantido no cargo por Silval.

    Maior legenda do Estado em número de ocupantes de cargos eletivos, inclusive com eleição de Maggi para o Senado, com a reeleição dos federais Wellington e Homero Pereira e com conquista da maior bancada na Assembleia, com 6 deputados, o PR conduz hoje seis secretarias. Na Infraestrutura tem Arnaldo Alves. No Meio Ambiente, o coronel PM Alexander Maia é considerado também indicação do partido, assim como Oscemário Daltro na Cultura, Bruno Sá Freire na Administração e Pedro Nadaf da Indústria, Comércio, Minas e Energia. O Detran, sob Teodoro Lopes, o Dóia, entra nos rateios de cargos com status de primeiro escalão e sob a cota do PR.

   Pela sinalização do governador, que deve definir toda equipe de primeiro e segundo escalões até antes do Natal, de modo a empossá-la de uma vez na solenidade de 1º de janeiro, o PR terá uma participação menor no secretariado. Deve ficar com quatro pastas. Eder e Nadaf, por exemplo, estão confirmados.

    Entre Arnaldo e Bruno, que possuem uma linha mais técnica, somente o primeiro tende a fazer parte do staff, com possibilidade de ser remanejado para o Planejamento e Coordenação Geral. Maia deve “cair”, assim como Oscemário. O deputado Mauro Savi, presidente da Assembleia, bate duro para o Paiaguás manter Dóia no Detran. O também parlamentar João Malheiros tem feito lobby para “segurar” Oscemário na secretaria de Cultura.