SEC apresenta exposição Naif – Olhar primitivo

A exposição “Naif – Olhar primitivo” encerra o ano das atividades da Galeria de Artes Visuais da Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso (SEC-MT). Nesta edição, seis dos mais talentosos artistas plásticos da “arte naif” ou “arte primitiva”, residentes em Mato Grosso irão apresentar seus trabalhos, são eles: Adão Domiciano, José Pereira, Nilson …

01/12/2010 08:52



A exposição “Naif – Olhar primitivo” encerra o ano das atividades da Galeria de Artes Visuais da Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso (SEC-MT). Nesta edição, seis dos mais talentosos artistas plásticos da “arte naif” ou “arte primitiva”, residentes em Mato Grosso irão apresentar seus trabalhos, são eles: Adão Domiciano, José Pereira, Nilson Pimenta, Olimpio Bezerra, Valdivino Miranda e Valques Rodrigues. A abertura da exposição começa hoje dia 1º de dezembro e se estende até o dia 22 do mesmo mês, às .

Em comum, as obras são marcadas pela expressão instintiva e pela espontaneidade dos artistas, geralmente autodidatas, que revelam suas experiências de vida e observação do cotidiano através dos pincéis. Além disso, as obras se conectam também pelas cores vivas, a criatividade e a riqueza de detalhes expressas com técnicas aparentemente rudimentares.

Cerca de 30 obras, sendo em média cinco de cada artista, farão parte da exposição, que também contará com uma instalação do artista Olímpio Bezerra, algumas esculturas de Nilson Pimenta, além de um espaço especial para seus trabalhos de aquarela juntamente com os de Adão e Valques.

De acordo com Pimenta, é uma alegria poder participar dessa mostra com os colegas. “A gente fica honrado de estar junto com eles. Eu fico muito contente de ver que alguns deles começaram a pintar comigo e já estão expondo até para fora”, afirma.

Paralelamente a esta exposição, Nilson, Valques e Valdivino estão participando da Bienal Naifs do Brasil, aonde o artista Nilson Pimenta recebeu o prêmio de Menção Especial. Em sua 10ª edição, este é um dos eventos mais importantes da arte naif no cenário nacional, e acontece no Sesc de Piracicaba (SP) até o dia 12 de dezembro.

Já o artista Olímpio Bezerra conta que participará desta coletiva com 25 trabalhos. “Além dos quadros, há uma instalação intitulada Sala da vovó. As obras todas remetem a lembranças de coisas que não voltam mais. É com muita felicidade que participo pela primeira vez de uma coletiva com esses amigos”, afirma.

Adão Domiciano apresenta sete trabalhos nos quais retrata a cultura regional de Mato Grosso, como a manifestação do siriri e também traz a denúncia, tema recorrente em seu trabalho. “Nos meus quadros trago uma crítica sobre a degradação ambiental, pinto a derrubada das árvores, a queimada e a criação de gado. Participar desta exposição é uma oportunidade muito boa, a coletiva está com um nível muito bom”, comenta.

Sobre os artistas:

José Pereira – Artista Plástico baiano. Reside em Cuiabá desde os anos setenta. Suas obras são criadas a partir da observação do cotidiano e das manifestações culturais, resultando num trabalho rico de cores e detalhes. Zé Pereira já participou de vários salões e exposições de arte no país. Destaca-se a participação em três edições da Bienal de Arte Naifs do Brasil de Piracicaba-SP (1994, 1996 e 2004). Em 2002 realizou a exposição “Futebol” na Galeria do Sesc Arsenal em Cuiabá, que viria se tornar um dos carros-chefes do seu trabalho.

Valdivino Miranda – Artista Plástico mato-grossense. Seu trabalho expressa visualmente elementos zoomorfizados surpreendentes e instigantes. As imagens expressam mudança e transformação: de um mesmo tronco com forma animal surgem vários braços e pernas alongadas e entrelaçadas com várias cabeças humanas. Valdivino já participou de vários salões de arte no país. Em Mato Grosso, foi premiado no XIX Salão Jovem Arte Mato-grossense em 2000. Em 2010 foi selecionado para expor na Bienal Naifs do Brasil de Piracicaba em SP.

Nilson Pimenta – Artista Plástico baiano. Desenvolve sua arte expressando o cotidiano, o trabalho e a vida simples no campo. Ele possui uma trajetória brilhante nas artes plásticas no país e no exterior. Participou e recebeu vários prêmios em salões e exposições no país. Em Mato Grosso, foi premiado em duas edições do Salão Jovem Arte Mato-grossense, 1981 e 2005/2006. Em 2010 recebeu Menção Especial na Bienal Naifs do Brasil de Piracicaba em SP. Nilson Pimenta é orientador do Ateliê Livre do Museu de Arte e Cultura Popular da UFMT, revelando novos talentos das artes-plásticas de Mato Grosso.

Olimpio Bezerra – Artista Plástico paulista (Araçatuba-SP). Há vinte anos, em visita ao Pantanal mato-grossense, decidiu fixar residência em Cuiabá. Expressa em suas obras o cotidiano do interior, a religiosidade, as danças e festas populares. A base de sua obra é o óleo sobre tela, mas também desenvolve trabalhos com o reaproveitamento de objetos encontrados em suas andanças pela cidade, como discos de vinil e móveis de madeira. Participou de inúmeras exposições no país e exterior recebendo várias premiações.

Valques Rodrigues – Artista Plástico mato-grossense. Iniciou a carreira aos seis anos de idade sob a orientação do pai, o artista plástico Nilson Pimenta. Dedica-se a pintura tendo como suporte a tela ou papel. Os acontecimentos do cotidiano são os temas principais de suas obras. Em 2002 foi premiado no XXI Salão Jovem Arte Mato-grossense e em 2010 foi selecionado para expor na Bienal de Arte Naifs do Brasil em Piracicaba-SP. Valques Rodrigues ministra aulas de desenho e pintura para crianças da comunidade do Sucuri em Cuiabá.

Adão Domiciano – Artista Plástico capixaba (Ecoporanga-ES). Mudou-se com a família para Mato Grosso em 1975, fixando residência inicialmente em Reserva do Cabaçal. Em Cuiabá, começou a desenhar e pintar no Ateliê Livre da UFMT sob a orientação do artista-plástico Nilson Pimenta. Em suas obras, o cotidiano da vida no campo está sempre presente: o gado pastando, o carro de boi, os canaviais, a mata derrubada. Adão Domiciano participou e recebeu vários prêmios no país e exterior. Em Mato Grosso, foi premiado em quatro edições do Salão Jovem Arte Mato-grossense (1989, 1990, 1994 e 1999). Participou em cinco edições da Bienal de Arte Naifs do Brasil de Piracicaba-SP (1996, 1998, 2000, 2002 e 2006), sendo premiado nas três últimas.
SERVIÇO:

O que: Exposição “Naif – Olhar primivo”

Local: Galeria de Artes Visuais da Secretaria de Estado de Cultura – Av. Getúlio Vargas, 247 – Centro

Data da abertura: 1º de dezembro, às 19h30

Período da exposição: 1º a 22 de dezembro de 2010

Quanto: Entrada gratuita