Antero diz que Maggi quer Abicalil no MEC, mas senador eleito nega

Na segunda (6) o ex-candidato ao Senado Antero Paes de Barros (PSDB) declarou que o senador eleito Blairo Maggi (PR) se reuniria com a presidente eleita, Dilma Rousseff (PT), para interceder a favor dos mato-grossenses que ocupam cargos no governo federal. “Maggi se reúne hoje com Dilma. Vai pedir para manter Rodrigo Figueiredo no Ministério …

07/12/2010 10:18



Na segunda (6) o ex-candidato ao Senado Antero Paes de Barros (PSDB) declarou que o senador eleito Blairo Maggi (PR) se reuniria com a presidente eleita, Dilma Rousseff (PT), para interceder a favor dos mato-grossenses que ocupam cargos no governo federal. “Maggi se reúne hoje com Dilma. Vai pedir para manter Rodrigo Figueiredo no Ministério das Cidades, Luiz Antônio Pagot no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e Carlos Abicalil como 2º da Educação”, divulgou no microblog Twitter.

   No entanto, o republicano, que está em Brasília, negou as afirmações. “Já estive com Dilma semana passada. Até parece que ela vai me receber todo dia”, ironizou. Antero foi contundente ao dizer que o senador eleito intercederia a favor de Abicalil, inclusive numa referência à atuação do petista na Câmara. “É isso mesmo: Blairo vai propor Abicalil como secretário executivo do Ministério da Educação. Abicalil foi muito leal ao PT na CPI dos Correios e mensalão”, afirmou o tucano.

   Maggi, por sua vez, diz desconhecer os motivos que tenham levado o ex-senador a fazer tal declaração. “De repente ele teve acesso a alguma informação que eu ainda não conheça”, disse. Contudo, ele reconhece que, caso Abicalil manifeste vontade em ocupar o cargo, não teria problema nenhum em interceder a favor do petista. “Se ele mostrar interesse, poderia pedir por ele sim, até por meio de uma indicação direta”, disse.

   Abicalil termina seu mandato em 31 de janeiro. Nestas eleições, disputou sem sucesso uma vaga ao Senado, na mesma chapa de Maggi, após comprar uma briga interna com a senadora Serys Marly (PT), que queria tentar a reeleição. Em uma inversão de papéis, ela acabou concorrendo a uma vaga na Câmara dos Deputados, mas também não conseguiu se emplacar.