Cigarro é responsável por um terço de casos mais graves de artrite

O consumo de cigarro é responsável por mais de um terço dos casos mais graves de artrite reumatóide, segundo um estudo divulgado hoje(14-12)  em uma publicação do British Medical Journal (BMJ). De acordo com o estudo, o fumo também está por trás de mais da metade dos casos de artrites em pessoas geneticamente predispostas a desenvolver …

14/12/2010 13:48



O consumo de cigarro é responsável por mais de um terço dos casos mais graves de artrite reumatóide, segundo um estudo divulgado hoje(14-12)  em uma publicação do British Medical Journal (BMJ).

De acordo com o estudo, o fumo também está por trás de mais da metade dos casos de artrites em pessoas geneticamente predispostas a desenvolver a doença.

A pesquisa, realizada na Suécia, confirma que o cigarro é um dos principais fatores de risco para a artrite. Os pesquisadores basearam suas conclusões na análise de 1,2 mil pessoas, de 18 a 70 anos, com artrite reumatóide e registradas em 19 clínicas da Suécia.

Depois compararam estas análises com as de 871 voluntários com as mesmas características, mas sem a doença. Todos foram questionados sobre seus hábitos com o cigarro e a partir das respostas foram divididos em três categorias de acordo com o tempo em que fumavam.

Além disso, foi feito um exame de sangue para determinar se tinham predisposição genética a artrite e avaliar a gravidade da doença.

Dos que sofriam de artrite reumatóide, 61% tinha a forma mais grave da doença, que é também a mais comum.

As pessoas que mais fumavam – cerca de 20 cigarros ao dia durante pelo menos 20 anos – tinham 2,5 vezes mais probabilidade de desenvolver a doença.

O risco se reduziu no caso dos ex-fumantes de forma proporcional aos anos de afastamento do cigarro. No entanto, entre esse grupo, os que fumaram muito continuam apresentando um risco relativamente alto de desenvolver a doença, mesmo para os que largaram o cigarro há 20 anos.

Em função destes dados, os especialistas concluíram que 35% dos casos de artrites graves podiam ser atribuídos ao tabaco.

Entre as pessoas com predisposição genética, a relação com o tabaco era de 55%, com maior risco quanto mais alta era a dependência.

Os autores do estudo destacam que há outros fatores que podem contribuir para a artrite reumatóide, incluindo a poluição do ar e hormônios. No entanto, ressaltaram que a pesquisa apresenta provas suficientes para a necessidade das pessoas com histórico familiar de artrite reumatóide deixar de fumar.