Silval se reúne hoje com Dilma Rousseff

O governador Silval Barbosa (PMDB) deu início na noite de ontem a uma extensa agenda em Brasília para amarrar questões de cunhos político e econômico para Mato Grosso. Hoje, Silval se encontra com a presidenta eleita Dilma Rousseff (PT). O horário da reunião não foi definido. Na grade de compromissos está a gestão para ampliar …

15/12/2010 09:56



O governador Silval Barbosa (PMDB) deu início na noite de ontem a uma extensa agenda em Brasília para amarrar questões de cunhos político e econômico para Mato Grosso. Hoje, Silval se encontra com a presidenta eleita Dilma Rousseff (PT). O horário da reunião não foi definido.

Na grade de compromissos está a gestão para ampliar a lista de indicados do Estado na equipe da presidente eleita. O governador e o senador eleito Blairo Maggi (PR) centrarão foco hoje nas articulações para defender os interesses do Estado.

Silval disse que está otimista sobre as chances dos aliados no Estado conseguirem mais espaço em âmbito nacional. Porém, evita comentar os espaços que poderão ser assegurados. O nome do presidente regional do PT, deputado federal Carlos Abicalil, é cotado para ocupar posto no Ministério da Educação e Cultura (MEC). Mas os entendimentos vêm sendo mantidos sob sigilo.

“Não podemos falar em nomes porque essa questão cabe à presidente eleita Dilma Rousseff escolher sua equipe. Não podemos falar em nomes, mas sim defender a ampliação da participação de representantes do Estado. Essa posição que poderá ser ampliada tem um significado muito importante para Mato Grosso, porque melhora as possibilidades de termos mais investimentos”, ponderou.

O chefe do Executivo estadual também se reúne com membros da bancada federal, com a qual discute questões relacionadas às emendas junto ao Orçamento Geral da União (OGU) para 2011. A presença do chefe do Executivo estadual em Brasília também visa assegurar, junto à relatora da peça orçamentária, senadora Serys Slhessarenko (PT), a garantia da remessa da União às unidades federativas de recursos referentes à Lei Kandir. Os estados esperam que o OGU reponha aos cofres públicos a quantia aproximada de R$ 4 bilhões.

O montante assegura para Mato Grosso, em 2011, valor de cerca de R$ 400 milhões. Neste ano o caixa da administração estadual somou R$ 250 milhões referentes ao repasse. Porém, devido às regras impostas pela legislação sobre o período eleitoral, a distribuição da verba sofreu atraso e foi condicionada pela União em parcelamento. A previsão do Estado é de que a última parcela sobre a Lei Kandir, referente ao atual exercício, ocorra até o fim deste mês. Diante desse quadro, Silval atuará no sentido de solicitar apoio de Serys para atendimento aos estados.

No contexto político, Abicalil contará com apoio de Maggi e de Silval na defesa de seu nome para a equipe do governo federal. O governador conversou recentemente com Dilma, por telefone, para solicitar apoio para Mato Grosso. O senador republicano eleito, que goza de prestígio junto à presidente eleita, também tem priorizado o assunto em Brasília. Informações apontam ainda defesa de Silval e de Maggi para assegurar Rodrigo Figueiredo na secretaria executiva do Ministério das Cidades.

Por enquanto, só o diretor-geral do Dnit, Luiz Antonio Pagot, foi confirmado no primeiro escalão.