Investimentos do TCE cumprem as finalidades do FundeContas

Cumprindo a finalidade da criação do Fundo de Reaparelhamento e Modernização (FundeContas), o Tribunal de Contas de Mato Grosso investiu em sistemas e equipamentos para a área de tecnologia de informação, adquiriu computadores portáteis para atender aos profissionais técnicos e também reformou as instalações de diversas unidades técnicas e administrativas da instituição. O FundeContas tem …

18/12/2010 08:38



Cumprindo a finalidade da criação do Fundo de Reaparelhamento e Modernização (FundeContas), o Tribunal de Contas de Mato Grosso investiu em sistemas e equipamentos para a área de tecnologia de informação, adquiriu computadores portáteis para atender aos profissionais técnicos e também reformou as instalações de diversas unidades técnicas e administrativas da instituição.

O FundeContas tem como fontes de receita as multas aplicadas aos gestores que cometem irregularidades nas contas públicas, a locação do espaço para o restaurante e lanchonete para os servidores, aplicações financeiras e de fotocopiadoras.

Em 2010, o Fundo arrecadou R$ 1.997.581,00, sendo que desse montante R$ 967.663,00 foram provenientes de multas recebidas durante este ano e o restante das demais fontes. Informações detalhadas a esse respeito estão disponíveis no Espaço Transparência do portal do TCE-MT (www.tce.mt.gov.br)

Os investimentos, também até 30 de novembro, alcançaram R$ 1.583.000,00. Em sistemas e equipamentos para a Coordenadoria de Tecnologia de Informação o TCE, aplicou R$ 899 mil, aumentando em cinco vezes a sua capacidade de armazenamento e processamento de informações. Também foram adquiridos 33 computadores portáteis para atender aos profissionais do controle externo e unidades administrativas do Tribunal.

A Consultoria Técnica, unidade técnica que atende especificamente aos jurisdicionados, a Consultoria Jurídica e o Núcleo de Certificação e Sanções tiveram suas instalações reformadas com recursos do FundeContas.
Ressarcimentos ao erário

Existem dois tipos de sanções que o Tribunal de Contas aplica a gestores e ordenadores de despesas que praticam irregularidades na gestão dos recursos públicos. Um deles é a multa, que o gestor recolhe em favor do Fundecontas. A outra penalidade consiste na devolução de recursos ao erário – Estado ou município – e é aplicada quando o Tribunal constata fraudes ou desvios. Nos dois casos o recolhimento tem que ser feito com recursos próprios.

Em 2010, o montante de recursos que gestores públicos foram condenados a devolver ao Estado e aos municípios de Mato Grosso foi bastante superior ao que foi aplicado em multas.

O valor total de multas aplicadas foi de R$ 2,5 milhões – embora o montante recebido no ano tenha alcançado pouco mais de R$ 967 mil.

Já as devoluções determinadas pelo TCE, em favor dos erários estadual e municipais – somaram de R$ 23 milhões.

Desse total, apenas R$ 1,2 milhão foi devolvido aos órgãos públicos em 2010. Ocorre que, tanto em se tratando de multas, quanto de devolução de valores, os gestores condenados podem recorrer das decisões do TCE.





Tags: