Ex-presidente da AL diz que não é hipócrita e que novo reajuste salarial é justo

O ex-presidente da Assembleia e deputado estadual diplomado José Riva (PP) minimizou a polêmica sobre o reajuste salarial aprovado pelos parlamentares para a próxima legislatura. O subsídio dos deputados vai pular de R$ 13,5 mil para R$ 20 mil em 2011, mas para Riva o valor ainda é baixo. “Eu, inclusive, ganho muito mais que …

19/12/2010 12:44



O ex-presidente da Assembleia e deputado estadual diplomado José Riva (PP) minimizou a polêmica sobre o reajuste salarial aprovado pelos parlamentares para a próxima legislatura. O subsídio dos deputados vai pular de R$ 13,5 mil para R$ 20 mil em 2011, mas para Riva o valor ainda é baixo. “Eu, inclusive, ganho muito mais que isso nas minhas atividades fora da política”, frisou.

   Ainda segundo o progressista, o novo salário é justo se forem analisadas as atividades que cada deputado desenvolve. “Eu não sou hipócrita. É uma utopia dizer que um deputado vive apenas com R$ 8 mil”, avaliou, ressaltando que o novo salário vai permitir que a sociedade possa cobrar mais transparência dos eleitos.

   Riva garantiu que os cerca de R$ 220 milhões que a Assembleia terá como orçamento para o próximo ano são suficientes para “aguentar” o reajuste, aprovado na última quinta (16). “Basta fazer algumas adequações”, ponderou. O aumento em Mato Grosso, ocorreu logo depois que os deputados federais e senadores reajustaram seus próprios salários, o da presidente diplomada Dilma Rousseff, do vice dela Michel Temer e dos minstros. o novo salário começa a vigorar em 1º de fevereiro de 2011.

   O progressista não foi o único a se manifestar a favor do reajuste. O deputado estadual José Domingos Fraga (DEM) também classificou como justo o novo salário. “Receber R$ 20 mil para quem se dedica como eu ao meu trabalho é mais que justo”, afirmou.

  Para ele, o problema não está no aumento, mas sim na frequência com que ele ocorre. “O aumento só ocorre de quatro em quatro anos, por isso, causa impacto. É preciso que se tenha um outro parâmetro para não gerar essa indignação sem conhecimento de causa”, avaliou.

   Fraga destacou ainda que o subsídio dos parlamentares não é o maior entre as pessoas que exercem cargos públicos. “Infelizmente um deputado não ganha como um juiz ou desembargador e ainda precisa passar pelo crivo das urnas”, ressaltou. Além do salário, os parlamentares têm direito a R$ 15 mil de verba indenizatória e outros R$ 30 mil para contratar assessores.