PT indica Alexandre para Seduc; Lessa, na Justiça; veja lista de cotados

 O governador reeleito e diplomado Silval Barbosa (PMDB) decidiu não mais “partidarizar” a Procuradoria-Geral do Estado. Descartou a hipótese de entregá-la para o PT, que ensaiava indicar ao posto de comando o suplente de deputado estadual e procurador Alexandre Cesar. A PGE continuará sob Dorgival Veras de Carvalho. Por outro lado, o peemedebista confirmou, em …

20/12/2010 21:26



 O governador reeleito e diplomado Silval Barbosa (PMDB) decidiu não mais “partidarizar” a Procuradoria-Geral do Estado. Descartou a hipótese de entregá-la para o PT, que ensaiava indicar ao posto de comando o suplente de deputado estadual e procurador Alexandre Cesar. A PGE continuará sob Dorgival Veras de Carvalho. Por outro lado, o peemedebista confirmou, em reunião nesta segunda com membros da direção estadual do PT, que a Educação continuará sob o controle do partido.

   Como Carlos Abicalil revelou que deve mesmo ocupar cargo federal no governo Dilma Rousseff e sugeriu o nome de Alexandre para a Seduc, o Palácio Paiaguás não impôs dificuldades. Pelo visto, Alexandre vai mesmo comandar a maior pasta da estrutura da máquina estatal. A Seduc terá para 2011 um orçamento de R$ 1,3 bilhão, 20,3% a mais se comparado ao exercício deste ano (R$ 1,1 bilhão). O Orçamento-Geral do Estado será de R$ 11,2 bilhões.

    Será mais um político com a história “manchada” na vida pública a fazer parte da nova administração. Alexandre responde a processos na Justiça por crime eleitoral. Foi acusado de “afundar” o PT em dívidas na época em que presidiu a sigla no Estado e também de dar calote em várias pessoas em sua campanha para prefeito de Cuiabá, em 2004. Ele já disputou diferentes cargos eletivos e, em todos, foi reprovado nas urnas. Primeiro, foi vice-prefeito na chapa de Serys Marly. Depois concorreu a governador, a prefeito e duas vezes para deputado estadual. Ficou como suplente e assumiu vaga na Assembleia por mais de dois anos graças a um rodízio combinado com o deputado Ságuas Moraes, que se afastou do Legislativo para conduzir a Seduc no segundo governo Blairo Maggi. Outros políticos com contas a acertar na Justiça e que serão candidatos são Pedro Henry (Saúde) e João Malheiros (Cultura).

   Pelas últimas negociações, o PT ficará somente com a Educação. Silval postergou anúncio do secretariado para esta terça porque está dependendo de algumas definições partidárias. Após encontros nesta segunda, os últimos nomes começaram a ser definidos. Para o Transporte e Pavimentação Urbana (hoje Sinfra), Silval decidiu manter Arnaldo Alves, enquanto o deputado federal reeleito para o sexto mandato Wellington Fagundes avalia o convite para assumí-la. Por causa disso, o governador “segurou” o remanejamento de Arnaldo para o Planejamento e Coordenação Geral, que continua sob José Gonçalves Botelho.

   Na Cidades está confirmado o ex-deputado peemedebista Nico Baracat. O desembargador aposentado Paulo Lessa venceu Francisco Faiad na queda-de-braço nos bastidores, e vai ser oficializado na nova secretaria de Justiça. A Saúde ficará sob Pedro Henry, enquanto o Meio Ambiente prossegue com o coronel PM Alexander Maia. De 23 pastas, o governo, com as mudanças propostas no staff, reduziu a estrutura para 21.

   Só estão pendentes hoje de definição oficial nomes para comando de quatro secretarias, sendo elas Ciência e Tecnologia, Educação, Esportes e Lazer e Sinfra. No caso da Ciência e Tecnologia, o Paiaguás deve ceder as pressões do vice eleito e diplomado Chico Daltro. Ele não abre mão de voltar à secretaria. O PP indicou para Esportes o vereador primaverense Luizinho Magalhães e aguarda resposta do governador.

As novas negociações para comando de pastas no governo Silval Barbosa

Educação – Alexandre Cesar (*)
Procuradoria-Geral do Estado – Dorgival Veras
Transporte e Pavimentação Urbana – Arnaldo Alves
Indústria, Comércio, Minas e Energia – Pedro Nadaf
Casa Civil – Eder de Moraes
Meio Ambiente – Alexander Maia
Administração – Cézar Zílio
Planejamento – José Gonçalves Botelho
Cultura – João Malheiros
Ciência e Tecnologia – Chico Daltro (*)
Saúde – Pedro Henry
Esportes – Luizinho Magalhães (*)
Desenvolvimento do Turismo – Teté Bezerra
Cidades –  Nico Baracat
Comunicação – Osmar de Carvalho
Assistência Social e Trabalho – Roseli Barbosa
Desenvolvimento Rural – José Domingos
Fazenda – Edmilson dos Santos
Segurança Pública – Diógenes Curado
Justiça – Paulo Lessa
Casa Militar – Antonio de Moraes