Médicos aguardam proposta da prefeitura

A continuidade da greve dos médicos de Várzea Grande pode ser decidida hoje (23). A iminente revisão da paralisação, que dura uma semana, se deve à proposta que está sendo elaborada pelos secretários de Saúde do Município, Renato Tápias Tetilla, e de Fazenda, Rachid Herbert Pereira Mamed, na tarde da quarta-feira (22). O intuito de …

23/12/2010 09:13



A continuidade da greve dos médicos de Várzea Grande pode ser decidida hoje (23). A iminente revisão da paralisação, que dura uma semana, se deve à proposta que está sendo elaborada pelos secretários de Saúde do Município, Renato Tápias Tetilla, e de Fazenda, Rachid Herbert Pereira Mamed, na tarde da quarta-feira (22). O intuito de ambos é de que a sugestão seja oficializada ainda hoje, a fim de que o Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed-MT) convoque uma assembleia para essa quinta-feira.
Segundo Tetilla, a proposta deve consistir na quitação das duas parcelas referentes à verba indenizatória que encontram-se em atraso, além do pagamento do reajuste do piso salarial, que saltou em setembro de R$ 1,3 mil para R$ 1,6 mil. Tudo, até maio de 2011. “Vamos formular um calendário para definir a data dos pagamentos. Mas nossa intenção é de que tudo esteja acertado até lá, quando o salário deverá ser reajustado para R$ 1,9 mil”, apontou.
A expectativa do presidente do Sindicato dos Médicos, Edinaldo Lemos, é de que o impasse seja solucionado o mais rápido possível. “A saúde deve ser priorizada pela prefeitura de Várzea Grande. Nós queremos que o acordo que foi firmado com o Poder Executivo há um ano atrás seja cumprido. Não queremos nada de novo. Apenas isso”, pontuou Lemos.
Apesar da greve, os profissionais estão mantendo os atendimentos nos casos de urgência e emergência. Já os atendimentos nos postos de saúde e policlínicas encontram-se paralisados, bem como as cirurgias eletivas.

A continuidade da greve dos médicos de Várzea Grande pode ser decidida amanhã (23). A iminente revisão da paralisação, que dura uma semana, se deve à proposta que está sendo elaborada pelos secretários de Saúde do Município, Renato Tápias Tetilla, e de Fazenda, Rachid Herbert Pereira Mamed, na tarde desta quarta-feira (22). O intuito de ambos é de que a sugestão seja oficializada ainda hoje, a fim de que o Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed-MT) convoque uma assembleia para essa quinta-feira.            Segundo Tetilla, a proposta deve consistir na quitação das duas parcelas referentes à verba indenizatória que encontram-se em atraso, além do pagamento do reajuste do piso salarial, que saltou em setembro de R$ 1,3 mil para R$ 1,6 mil. Tudo, até maio de 2011. “Vamos formular um calendário para definir a data dos pagamentos. Mas nossa intenção é de que tudo esteja acertado até lá, quando o salário deverá ser reajustado para R$ 1,9 mil”, apontou.            A expectativa do presidente do Sindicato dos Médicos, Edinaldo Lemos, é de que o impasse seja solucionado o mais rápido possível. “A saúde deve ser priorizada pela prefeitura de Várzea Grande. Nós queremos que o acordo que foi firmado com o Poder Executivo há um ano atrás seja cumprido. Não queremos nada de novo. Apenas isso”, pontuou Lemos.              Apesar da greve, os profissionais estão mantendo os atendimentos nos casos de urgência e emergência. Já os atendimentos nos postos de saúde e policlínicas encontram-se paralisados, bem como as cirurgias eletivas.