China prevê demanda maior por milho em 2011

A demanda por milho por parte da indústria de processamento da China deve aumentar no próximo ano devido ao maior número de criações de suínos e da pressão intensa por mais ração animal, afirmou na semana passada o vice-ministro da Agricultura do país, Wei Chaoan. As declarações de Wei destacam a demanda da China por …

04/01/2011 08:15



A demanda por milho por parte da indústria de processamento da China deve aumentar no próximo ano devido ao maior número de criações de suínos e da pressão intensa por mais ração animal, afirmou na semana passada o vice-ministro da Agricultura do país, Wei Chaoan.
As declarações de Wei destacam a demanda da China por importações de milho, que não recuaram apesar de uma safra robusta neste inverno, em um ano em que o país interrompeu 15 anos de autossuficiência para importar mais de 1,5 milhão de toneladas de milho norte-americano.
A demanda por ração animal deve subir cerca de 4,5 milhões de toneladas no ano que vem, o que provavelmente vai incitar a expansão da indústria de processamento de milho, afirmou o ministro. “A elevação de criações de porcos em larga escala (…) e das compras de carne (…) aumentaram a demanda por ração, provocando a necessidade de ainda mais milho e farelo de soja”, disse Wei, em um discurso publicado no site do ministério.
A estimativa é de que a indústria de processamento de milho tenha produzido neste ano 60 milhões de toneladas, mas a demanda em 2011 deve superar as 70 milhões de toneladas, disse Wei. “A indústria de processamento de milho vai responder por mais de um terço da demanda de milho, superando a meta da China de 26%”, completou.
As indústrias de ração e processamento de milho respondem por mais de 90% da demanda de milho, segundo Wei. A China teve uma safra recorde de grãos neste ano, incluindo um aumento de 5% na produção de milho, disse o Ministério da Agricultura neste mês. Porém, a demanda das indústrias de ração e processamento destacada por Wei devem prejudicar as ambições do país de ter autossuficiência e manter as importações de milho no ano que vem.
Os Estados Unidos tornaram-se o maior fornecedor de milho à China neste ano, depois que o país asiático virou um importador em junho.

A demanda por milho por parte da indústria de processamento da China deve aumentar no próximo ano devido ao maior número de criações de suínos e da pressão intensa por mais ração animal, afirmou na semana passada o vice-ministro da Agricultura do país, Wei Chaoan.
As declarações de Wei destacam a demanda da China por importações de milho, que não recuaram apesar de uma safra robusta neste inverno, em um ano em que o país interrompeu 15 anos de autossuficiência para importar mais de 1,5 milhão de toneladas de milho norte-americano.
A demanda por ração animal deve subir cerca de 4,5 milhões de toneladas no ano que vem, o que provavelmente vai incitar a expansão da indústria de processamento de milho, afirmou o ministro. “A elevação de criações de porcos em larga escala (…) e das compras de carne (…) aumentaram a demanda por ração, provocando a necessidade de ainda mais milho e farelo de soja”, disse Wei, em um discurso publicado no site do ministério.
A estimativa é de que a indústria de processamento de milho tenha produzido neste ano 60 milhões de toneladas, mas a demanda em 2011 deve superar as 70 milhões de toneladas, disse Wei. “A indústria de processamento de milho vai responder por mais de um terço da demanda de milho, superando a meta da China de 26%”, completou.
As indústrias de ração e processamento de milho respondem por mais de 90% da demanda de milho, segundo Wei. A China teve uma safra recorde de grãos neste ano, incluindo um aumento de 5% na produção de milho, disse o Ministério da Agricultura neste mês. Porém, a demanda das indústrias de ração e processamento destacada por Wei devem prejudicar as ambições do país de ter autossuficiência e manter as importações de milho no ano que vem.
Os Estados Unidos tornaram-se o maior fornecedor de milho à China neste ano, depois que o país asiático virou um importador em junho.