Otimismo dos Brasileiros na Economia

Aos poucos a economia brasileira se estrutura e deixa de lado aquele ponto eufórico ostentado ao longo do ano passado para, então, ingressar em patamares convergentes com a realidade local, mas diferentemente de outros carnavais, ou seja, mais otimista e concreta. O aumento dos postos de trabalho, o acesso ao crédito e a massa salarial …

05/01/2011 11:34



Aos poucos a economia brasileira se estrutura e deixa de lado aquele ponto eufórico ostentado ao longo do ano passado para, então, ingressar em patamares convergentes com a realidade local, mas diferentemente de outros carnavais, ou seja, mais otimista e concreta. O aumento dos postos de trabalho, o acesso ao crédito e a massa salarial em crescimento fazem parte do cotidiano em questão.
Dados relacionados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) na segunda-feira (03/01) assinalam a continuidade do otimismo dos brasileiros em relação à conjetura socioeconômica da nação, mesmo com sensível queda no Índice de Expectativas das Famílias (IEF) entre novembro e dezembro de 2010, de um ponto percentual.
Segundo o Ipea, a região com maior otimismo no Brasil é a Centro-Oeste, em seguida a Sul. Apesar de concentrar as maiores rendas e movimentações financeiras, o Sudeste aparece apenas na terceira colocação, à frente, respectivamente, do Norte e Nordeste.
Na próxima quinta-feira (06/01), Marcio Pochmann, presidente do instituto, lançará dados mais precisos sobre o IEF.

Aos poucos a economia brasileira se estrutura e deixa de lado aquele ponto eufórico ostentado ao longo do ano passado para, então, ingressar em patamares convergentes com a realidade local, mas diferentemente de outros carnavais, ou seja, mais otimista e concreta. O aumento dos postos de trabalho, o acesso ao crédito e a massa salarial em crescimento fazem parte do cotidiano em questão.
Dados relacionados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) na segunda-feira (03/01) assinalam a continuidade do otimismo dos brasileiros em relação à conjetura socioeconômica da nação, mesmo com sensível queda no Índice de Expectativas das Famílias (IEF) entre novembro e dezembro de 2010, de um ponto percentual.
Segundo o Ipea, a região com maior otimismo no Brasil é a Centro-Oeste, em seguida a Sul. Apesar de concentrar as maiores rendas e movimentações financeiras, o Sudeste aparece apenas na terceira colocação, à frente, respectivamente, do Norte e Nordeste.
Na próxima quinta-feira (06/01), Marcio Pochmann, presidente do instituto, lançará dados mais precisos sobre o IEF.