Alcoolismo: vacina pode ser testada em humanos em 2012

Uma vacina poderá ser um santo remédio contra o alcoolismo. O produto, que está sendo testado por cientistas chilenos em cobaias, foi desenvolvido a partir de uma mutação genética presente em 20% da população asiática, que sofre consequências tão severas ao consumir álcool que impossibilita o hábito. A vacina induz, através de um vírus, mutações …

07/01/2011 09:43



Uma vacina poderá ser um santo remédio contra o alcoolismo. O produto, que está sendo testado por cientistas chilenos em cobaias, foi desenvolvido a partir de uma mutação genética presente em 20% da população asiática, que sofre consequências tão severas ao consumir álcool que impossibilita o hábito.
A vacina induz, através de um vírus, mutações nas células do fígado e faz com que o órgão não metabolize o álcool, aumentando os enjoos, a sensação de náusea e a vasodilatação nos viciados. “A vontade de beber será muito pequena devido às reações”, diz o médico da Universidade do Chile, Juan Asenjo, que coordena a pesquisa. A vacina, que poderá ser a primeira contra o alcoolismo, já foi testada com sucesso em ratos alcoólatras, nos quais o consumo do álcool diminuiu em 50%. “A ideia é que nos seres humanos o consumo de álcool diminua entre 90 e 95%”, acrescentou.
TESTE EM HUMANOS
Os cientistas trabalham agora para cultivar as células necessárias para produzir o vírus em reatores e em grandes quantidades. Depois, o produto deverá ser submetido a aprovação por parte de diferentes comitês de ética e institutos de saúde pública. A previsão dos pesquisadores é que a vacina comece a ser testada em humanos em 2012.

Uma vacina poderá ser um santo remédio contra o alcoolismo. O produto, que está sendo testado por cientistas chilenos em cobaias, foi desenvolvido a partir de uma mutação genética presente em 20% da população asiática, que sofre consequências tão severas ao consumir álcool que impossibilita o hábito.
A vacina induz, através de um vírus, mutações nas células do fígado e faz com que o órgão não metabolize o álcool, aumentando os enjoos, a sensação de náusea e a vasodilatação nos viciados. “A vontade de beber será muito pequena devido às reações”, diz o médico da Universidade do Chile, Juan Asenjo, que coordena a pesquisa. A vacina, que poderá ser a primeira contra o alcoolismo, já foi testada com sucesso em ratos alcoólatras, nos quais o consumo do álcool diminuiu em 50%. “A ideia é que nos seres humanos o consumo de álcool diminua entre 90 e 95%”, acrescentou.
TESTE EM HUMANOS
Os cientistas trabalham agora para cultivar as células necessárias para produzir o vírus em reatores e em grandes quantidades. Depois, o produto deverá ser submetido a aprovação por parte de diferentes comitês de ética e institutos de saúde pública. A previsão dos pesquisadores é que a vacina comece a ser testada em humanos em 2012.