Ferrugem não é registrada em dezembro em MT

É a primeira vez nos últimos seis anos em que o fungo não atinge as folhas da oleaginosa no Estado. Nos anos anteriores, os primeiros casos apareceram no final de novembro. O presidente da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja), Glauber Silveira, disse, em entrevista por telefone ao Olhar Direto, que uma …

07/01/2011 17:26



É a primeira vez nos últimos seis anos em que o fungo não atinge as folhas da oleaginosa no Estado. Nos anos anteriores, os primeiros casos apareceram no final de novembro.

O presidente da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja), Glauber Silveira, disse, em entrevista por telefone ao Olhar Direto, que uma soma de fatores contribuiu para a ausência da ferrugem na soja mato-grossense. “O plantio foi mais atrasado e no mês passado houve pouca chuva. Foi um ano muito seco e isso evitou a ferrugem no mês de dezembro”, informou.

Apesar de comemorarem o não aparecimento da doença, os produtores mantêm a vigilância. Boa parte dos agricultores fez aplicação preventiva de fungicidas. Além disso, diariamente os sojicultores e engenheiros agrônomos vistoriam as áreas plantadas. Em janeiro, como está chovendo mais, o receio é que a ferrugem apareça.

Glauber também comentou a divulgação da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), feita nesta quinta-feira, de que haverá aumento na safra nacional de grãos. A pesquisa da autarquia federal apontou crescimento de 0,2% da área plantada de soja sobre o último ciclo.

“A soja em Mato Grosso está bonita e o aumento da produção vai depender do clima. Mas não acredito em grandes mudanças no volume de soja colhida”, pontuou o presidente da Aprosoja.