Ministério da Saúde investiga “novo” tipo de dengue em Manaus

O Ministério da Saúde enviou uma equipe a Manaus para investigar um caso de dengue tipo 4, que não era registrado há quase três décadas no Brasil. Os técnicos do ministério estão trabalhando em parceria com a Secretaria de Saúde do Amazonas e com a Secretaria de Saúde de Manaus. Os tipos mais comuns de …

08/01/2011 10:09



O Ministério da Saúde enviou uma equipe a Manaus para investigar um caso de dengue tipo 4, que não era registrado há quase três décadas no Brasil. Os técnicos do ministério estão trabalhando em parceria com a Secretaria de Saúde do Amazonas e com a Secretaria de Saúde de Manaus.

Os tipos mais comuns de dengue no país são o 1, 2 e 3. O retorno da circulação do vírus tipo 4 serviu de alerta para as autoridades de saúde, pois boa parte da população brasileira, em especial crianças e jovens, não tem imunidade contra esse vírus.

Segundo o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, a princípio trata-se de um caso isolado. Nesta semana, a Secretaria de Saúde da capital do Amazonas confirmou que um adolescente de 13 anos, morador do bairro do Coroado, na zona leste da cidade, contraiu a doença.

Ainda de acordo com o ministro, os casos de suspeita de dengue tipo 4 que haviam sido registrados em Manaus não foram confirmados.

– Estamos buscando não só em Manaus, como em outras áreas da região Norte, se há outros casos de dengue tipo 4.

O vírus tipo 4 não era registrado no país há 28 anos, até que, no segundo semestre do ano passado, houve um surto com dez casos em Roraima.

Os sintomas das quatro variações de dengue (tipos 1, 2, 3 ou 4) são os mesmos, como dores de cabeça, no corpo e articulações, febre, diarreia e vômito. O tratamento também é o mesmo: repousar, hidratar-se bem e não tomar remédios à base de ácido acetil salicílico, que, por ter efeito anticoagulante, pode provocar sangramentos.

 O ministro Alexandre Padilha deu início à retomada da Caravana da Dengue, que tem por objetivo sensibilizar gestores da saúde e a população para os riscos da doença neste verão. Ele participou da cerimônia de formatura de 1.200 novos agentes que vão trabalhar no combate à doença na capital fluminense.