LEITE: Aumento da importação de lácteos causa prejuízos aos produtores

De acordo com dados do Fórum Permanente da Cadeia Láctea da Região Sul, o segmento tem aproximadamente 310 mil produtores, mas emprega direta e indiretamente 1,2 milhão de pessoas. Segundo o superintendente do Senar-PR e presidente do Conseleite-PR, Ronei Volpi, as indústrias de laticínios do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina estão trabalhando …

11/01/2011 09:25



De acordo com dados do Fórum Permanente da Cadeia Láctea da Região Sul, o segmento tem aproximadamente 310 mil produtores, mas emprega direta e indiretamente 1,2 milhão de pessoas. Segundo o superintendente do Senar-PR e presidente do Conseleite-PR, Ronei Volpi, as indústrias de laticínios do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina estão trabalhando com uma média de 43% de ociosidade. Levantamento feito pelo fórum mostra que a cada quilo de leite em pó importado, a indústria deixa de comprar 10 litros de leite dos produtores. Volpi disse que as importações brasileiras de lácteos são provenientes, na maioria, de países do Mercosul e abastecem principalmente a Região Sul, mercado facilitado pela proximidade e pelos acordos tarifários. “Um total de 87% das importações brasileiras são provenientes da Argentina e 56% do Uruguai” – disse à Agência Brasi.

De janeiro a novembro de 2010 o setor lácteo representou gastos para o país de mais de 262,1 milhões de dólares. Essas importações têm aumentado. No ano de 2007 representavam gastos de 152,7 milhões de dólares.

Reflexo do câmbio – De acordo com o presidente do Conseleite-PR, esse aumento pode ter acontecido devido às vantagens econômicas promovidas pelo sistema cambial, atualmente favorável às importações. Volpi explicou que para reverter essa situação, produtores, trabalhadores rurais e da indústria do leite dos três estados se reuniram no fim do mês de dezembro, em Curitiba, e elaboraram um documento que aponta soluções consideradas fundamentais para o setor. “Estamos enviando cópias deste documento, na próxima semana, para autoridades do governo federal, bancadas da Câmara e do Senado e a toda a classe política nos âmbitos estaduais e municipais”, disse.

Autossuficiência – Para ele, é preciso levar em conta que o Brasil, nos últimos 20 anos, saiu da condição de um dos maiores importadores de leite para a autossuficiência do produto, podendo até atender ao mercado externo. A Produção da Pecuária Municipal 2009, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), identificou alta em relação ao ano anterior, de 5,6% na produção de leite, com 29,112 bilhões de litros. Os principais produtores foram Minas Gerais (27,2%), o Rio Grande do Sul (11,7%) e o Paraná (11,5%). No documento a ser enviado para as autoridades brasileiras estão reivindicações como a integração láctea Brasil/Argentina, Mercosul e União Europeia, que os programas sociais de distribuição de leite e seus derivados utilizem somente produtos com matéria-prima nacional e a criação de um Conselho Consultivo permanente.