Maioria dos pais não assume o sobrepeso dos filhos, segundo estudo

Todo pai quer que seu filho seja saudável e esteja dentro do peso ideal. Mas e quando ele não está? Estudos anteriores já mostraram que pode ser difícil admitir a obesidade infantil e um novo levantamento do Governo Escocês concluiu que 78% dos pais daquele país não percebem o sobrepeso ou a obesidade das crianças. …

11/01/2011 09:18



Todo pai quer que seu filho seja saudável e esteja dentro do peso ideal. Mas e quando ele não está? Estudos anteriores já mostraram que pode ser difícil admitir a obesidade infantil e um novo levantamento do Governo Escocês concluiu que 78% dos pais daquele país não percebem o sobrepeso ou a obesidade das crianças. Entre os 4.000 entrevistados, apenas 1/5 reconheceu o problema.

Os pais que estavam acima do peso foram os menos realistas diante da condição física dos filhos. E de si mesmos: apenas 1/4 dos adultos obesos assumiram a sua obesidade e 37% disseram estar no peso certo. A dificuldade dos pais em controlar o próprio peso acaba se estendendo para o cuidado com as crianças, segundo o pediatra Silvio Renan Monteiro de Barros, da Sociedade Brasileira de Pediatria. E muitos se recusam a enxergar a situação. “Isso ocorre com outras doenças também, porque os pais não querem ver o que acontece de ruim com seus filhos. Uma das maiores dificuldades na clínica é convencer uma mãe de que o filho está acima do peso”.

O acompanhamento médico é a maneira mais eficiente de diagnosticar, tratar e também prevenir a obesidade, como mostra um estudo da Universidade do Sul da Flórida e da Universidade Johns Hopkins, feito com 150 pais. Embora uma em cada três crianças que participaram da pesquisa estivesse obesa ou acima do peso, 83% dos pais disseram que seus filhos estavam com o peso ideal. Na maioria dos casos, o alerta foi dado pelo pediatra: 10% dos pais de crianças com sobrepeso e 30% dos pais de crianças com obesidade só descobriram o problema na consulta pediátrica. Ou seja, a maioria dos pais confunde os quilos a mais das crianças com “excesso de fofura”, independentemente do país.

Estar atento à alimentação e ao condicionamento físico das crianças é outra forma de diagnosticar o problema. Se você acha que seu filho pode estar acima do peso, faça um controle do quanto e do que ele está comendo e peça para ele dar uma volta no quarteirão ao seu lado, em passo acelerado. Observe se ele fica cansado e ofegante com facilidade, pois este é um sinal claro de excesso de peso.

Consciência alimentar

Estar atento aos hábitos alimentares de sua família também é fundamental para prevenir o excesso de peso – tantos das crianças quanto dos adultos. Não adianta falar uma coisa e fazer outra… Dados da pesquisa escocesa mostraram que 90% dos entrevistados disseram ter uma dieta saudável ou consideravelmente saudável, embora menos de 1/4 comesse 5 porções de frutas e vegetais por dia. E esta é uma tendência mundial: nove em cada dez norte-americanos acreditam se alimentar bem, ainda que apenas 30% coma 5 ou mais porções de frutas e vegetais por dia. E tem mais: 43% dizem tomar pelo menos um refrigerante ou bebida açucarada por dia.