MT: UTI de hospital é interditada por estar com superbactéria KPC

A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário Julio Muller, em Cuiabá (MT), está interditada por um período de 7 a 10 dias para desinfecção hospitalar. O hospital recebeu uma paciente do sexo feminino, de 28 anos, que não teve a identidade revelada, do Hospital Regional de Sorriso (a 418 km de Cuiabá), que …

14/01/2011 08:50



A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário Julio Muller, em Cuiabá (MT), está interditada por um período de 7 a 10 dias para desinfecção hospitalar. O hospital recebeu uma paciente do sexo feminino, de 28 anos, que não teve a identidade revelada, do Hospital Regional de Sorriso (a 418 km de Cuiabá), que estava infectada com a superbactéria KPC (Klebsiella pneumoniae Carbapenemase).
A paciente chegou na última sexta-feira e faleceu na madrugada desta quinta-feira. Ela chegou com quadro grave de complicação pulmonar, respirava por aparelhos e com septicemia. Segundo informações da assessoria de imprensa da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a UTI está interditada num período de 7 a 10 dias para realização de desinfecção da superbactéria.
O membro do Comitê Interno de Controle e Prevenção de Infecção Hospitalar do Hospital Universitário Julio Muller, Francisco Kennedy, disse que os pacientes internados na UTI permanecem e que não serão recebidos novos pacientes, enquanto não houver a desinfecção do local. Kennedy esclareceu que o pacientes internados estão recebendo todos os cuidados necessários e são monitorados.
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Central de Regulação da Secretaria de Saúde do Estado já foram comunicados sobre a presença da superbactéria KPC.

A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário Julio Muller, em Cuiabá (MT), está interditada por um período de 7 a 10 dias para desinfecção hospitalar. O hospital recebeu uma paciente do sexo feminino, de 28 anos, que não teve a identidade revelada, do Hospital Regional de Sorriso (a 418 km de Cuiabá), que estava infectada com a superbactéria KPC (Klebsiella pneumoniae Carbapenemase).A paciente chegou na última sexta-feira e faleceu na madrugada desta quinta-feira. Ela chegou com quadro grave de complicação pulmonar, respirava por aparelhos e com septicemia. Segundo informações da assessoria de imprensa da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a UTI está interditada num período de 7 a 10 dias para realização de desinfecção da superbactéria.O membro do Comitê Interno de Controle e Prevenção de Infecção Hospitalar do Hospital Universitário Julio Muller, Francisco Kennedy, disse que os pacientes internados na UTI permanecem e que não serão recebidos novos pacientes, enquanto não houver a desinfecção do local. Kennedy esclareceu que o pacientes internados estão recebendo todos os cuidados necessários e são monitorados.A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Central de Regulação da Secretaria de Saúde do Estado já foram comunicados sobre a presença da superbactéria KPC.