Preços sobem em seis de sete capitais na segunda prévia de janeiro

Os preços medidos pelo IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor Semanal) subiram em seis das sete capitais em que são pesquisados na segunda leitura prévia deste mês, segundo dados divulgados  pela FGV (Fundação Getulio Vargas). O Rio de Janeiro, como na divulgação anterior, manteve a dianteira. Na capital fluminense, o indicador ficou em 1,36%, acima …

18/01/2011 09:24



Os preços medidos pelo IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor Semanal) subiram em seis das sete capitais em que são pesquisados na segunda leitura prévia deste mês, segundo dados divulgados  pela FGV (Fundação Getulio Vargas). O Rio de Janeiro, como na divulgação anterior, manteve a dianteira.
Na capital fluminense, o indicador ficou em 1,36%, acima do 1,27% na abertura do mês. Educação, leitura e recreação e alimentação foram os grupos que mais pesaram no bolso do carioca. Em seguida vem Salvador, com alta de 1,18% – transportes e educação, leitura e recreação foram os grupos em que os preços mais subiram. Em Porto Alegre, os preços subiram 1,10%, com a elevação nos preços nos grupos educação, leitura e recreação e vestuário.
Em São Paulo os preços aceleraram e a alta registrada foi de 0,92%, contra 0,67% na abertura do mês. Os itens que mais pesaram no orçamento do paulistano foram: tarifa de ônibus urbano, cursos formais, mensalidade para TV por assinatura, calçados, hortaliças e legumes e artigos de higiene e cuidado pessoal.
Em Belo Horizonte, a alta foi de 0,91%, com destaque para os grupos vestuário e habitação. Em Recife houve alta de 0,87%, com pressões dos grupos educação, leitura e recreação e transportes. Em Brasília, a alta foi de 0,81%, com destaque para os grupos educação, leitura e recreação e despesas diversas.
Ontem, a FGV divulgou o índice geral, que mostrou alta de 1,06%. Os reajustes de matrículas escolares e de tarifa de ônibus foram os que mais influenciaram a elevação. A apuração do IPC-S com dados coletados até o dia 22 deste mês será divulgada no próximo dia 25.

Os preços medidos pelo IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor Semanal) subiram em seis das sete capitais em que são pesquisados na segunda leitura prévia deste mês, segundo dados divulgados nesta terça-feira (18) pela FGV (Fundação Getulio Vargas). O Rio de Janeiro, como na divulgação anterior, manteve a dianteira.
Na capital fluminense, o indicador ficou em 1,36%, acima do 1,27% na abertura do mês. Educação, leitura e recreação e alimentação foram os grupos que mais pesaram no bolso do carioca. Em seguida vem Salvador, com alta de 1,18% – transportes e educação, leitura e recreação foram os grupos em que os preços mais subiram. Em Porto Alegre, os preços subiram 1,10%, com a elevação nos preços nos grupos educação, leitura e recreação e vestuário.
Em São Paulo os preços aceleraram e a alta registrada foi de 0,92%, contra 0,67% na abertura do mês. Os itens que mais pesaram no orçamento do paulistano foram: tarifa de ônibus urbano, cursos formais, mensalidade para TV por assinatura, calçados, hortaliças e legumes e artigos de higiene e cuidado pessoal.
Em Belo Horizonte, a alta foi de 0,91%, com destaque para os grupos vestuário e habitação. Em Recife houve alta de 0,87%, com pressões dos grupos educação, leitura e recreação e transportes. Em Brasília, a alta foi de 0,81%, com destaque para os grupos educação, leitura e recreação e despesas diversas.
Ontem, a FGV divulgou o índice geral, que mostrou alta de 1,06%. Os reajustes de matrículas escolares e de tarifa de ônibus foram os que mais influenciaram a elevação. A apuração do IPC-S com dados coletados até o dia 22 deste mês será divulgada no próximo dia 25.





Tags:
Economia