ProUni divulga os aprovados para 123 mil bolsas

O MEC (Ministério da Educação) divulgou nesta sexta-feira (28), pela manhã, a lista de alunos aprovados no ProUni (Programa Universidade para Todos). No total, 1.048.531 candidatos se inscreveram para disputar bolsas integrais e parciais (de 50%) nas mensalidades de universidades particulares. Quem não foi convocado nesta primeira chamada tem outras chances de disputa – uma …

28/01/2011 11:09



O MEC (Ministério da Educação) divulgou nesta sexta-feira (28), pela manhã, a lista de alunos aprovados no ProUni (Programa Universidade para Todos). No total, 1.048.531 candidatos se inscreveram para disputar bolsas integrais e parciais (de 50%) nas mensalidades de universidades particulares.
Quem não foi convocado nesta primeira chamada tem outras chances de disputa – uma segunda lista vai ser divulgada no dia 11 de fevereiro.
Também haverá uma segunda rodada de inscrições entre os dias 21 e 24 de fevereiro, com duas chamadas de aprovados. A primeira será divulgada no dia 27 de fevereiro e a segunda, no dia 13 de março.
Os estudantes concorrem a uma das 123,1 mil bolsas de estudo oferecidas, sendo 80,5 mil integrais e 42,6 mil parciais. Quase 1.600 universidades, centros universitários e faculdades aderiram ao programa neste semestre, número maior do que no ano passado.
A quantidade de inscritos (mais de 1 milhão) bateu o recorde desde a criação do ProUni, em 2004, afirma o ministério. O crescimento da procura é natural, diz o MEC, uma vez que houve aumento na oferta de bolsas e que mais pessoas participaram do Enem (Exame Nacional de Ensino Médio) neste ano – a prova é obrigatória para quem quiser disputar o programa.
Seleção
Para participar do ProUni, é preciso informar o número de inscrição no Enem e o CPF (Cadastro de Pessoa Física). A seleção do programa é feita de acordo com a pontuação no Enem. É necessário ter alcançado, no mínimo, 400 pontos na média das cinco notas da prova (ciências da natureza, ciências humanas, linguagens, matemática e redação). Quanto maior a pontuação, mais aumentam as chances de obter o benefício.
Os candidatos puderam escolher três opções de curso – a aprovação também se baseia na concorrência dessas opções. É possível disputar vaga tanto em carreiras de graduação quanto nos  cursos sequenciais – com duração menor, de dois ou três anos.
Os estudantes contemplados devem entregar na universidade os documentos que comprovem renda e dados de inscrição – o prazo para isso é de 28 de janeiro a 4 de fevereiro, para a primeira chamada. Quem decide a documentação para a matrícula é a instituição de ensino, e não o ministério. A faculdade pode ainda realizar um processo seletivo próprio, desde que avise com antecedência os estudantes.
Participantes
Para concorrer, é obrigatório não ter cursado o ensino superior. Quem quiser uma bolsa integral deve ter renda de até R$ 810 (um salário e meio) por pessoa da família. Já o desconto parcial, de 50% da mensalidade, é destinado a estudantes com renda familiar de até R$ 1.620 (três salários mínimos). Apenas candidatos que tiverem completado o ensino médio em escola pública podem disputar o programa.
As exceções são os alunos que estudaram em colégio particular com bolsa integral e os que fizeram uma parte em escola pública e outra parte como bolsistas. Vestibulandos com algum tipo de deficiência e professores da rede pública também podem ingressar no ProUni. No caso dos docentes, eles podem disputar bolsas em cursos de licenciatura, pedagogia ou normal superior. O critério de renda não é considerado.

O MEC (Ministério da Educação) divulgou nesta sexta-feira (28), pela manhã, a lista de alunos aprovados no ProUni (Programa Universidade para Todos). No total, 1.048.531 candidatos se inscreveram para disputar bolsas integrais e parciais (de 50%) nas mensalidades de universidades particulares.
Quem não foi convocado nesta primeira chamada tem outras chances de disputa – uma segunda lista vai ser divulgada no dia 11 de fevereiro.
Também haverá uma segunda rodada de inscrições entre os dias 21 e 24 de fevereiro, com duas chamadas de aprovados. A primeira será divulgada no dia 27 de fevereiro e a segunda, no dia 13 de março.
Os estudantes concorrem a uma das 123,1 mil bolsas de estudo oferecidas, sendo 80,5 mil integrais e 42,6 mil parciais. Quase 1.600 universidades, centros universitários e faculdades aderiram ao programa neste semestre, número maior do que no ano passado.
A quantidade de inscritos (mais de 1 milhão) bateu o recorde desde a criação do ProUni, em 2004, afirma o ministério. O crescimento da procura é natural, diz o MEC, uma vez que houve aumento na oferta de bolsas e que mais pessoas participaram do Enem (Exame Nacional de Ensino Médio) neste ano – a prova é obrigatória para quem quiser disputar o programa.
Seleção
Para participar do ProUni, é preciso informar o número de inscrição no Enem e o CPF (Cadastro de Pessoa Física). A seleção do programa é feita de acordo com a pontuação no Enem. É necessário ter alcançado, no mínimo, 400 pontos na média das cinco notas da prova (ciências da natureza, ciências humanas, linguagens, matemática e redação). Quanto maior a pontuação, mais aumentam as chances de obter o benefício.
Os candidatos puderam escolher três opções de curso – a aprovação também se baseia na concorrência dessas opções. É possível disputar vaga tanto em carreiras de graduação quanto nos  cursos sequenciais – com duração menor, de dois ou três anos.
Os estudantes contemplados devem entregar na universidade os documentos que comprovem renda e dados de inscrição – o prazo para isso é de 28 de janeiro a 4 de fevereiro, para a primeira chamada. Quem decide a documentação para a matrícula é a instituição de ensino, e não o ministério. A faculdade pode ainda realizar um processo seletivo próprio, desde que avise com antecedência os estudantes.Participantes
Para concorrer, é obrigatório não ter cursado o ensino superior. Quem quiser uma bolsa integral deve ter renda de até R$ 810 (um salário e meio) por pessoa da família. Já o desconto parcial, de 50% da mensalidade, é destinado a estudantes com renda familiar de até R$ 1.620 (três salários mínimos). Apenas candidatos que tiverem completado o ensino médio em escola pública podem disputar o programa.
As exceções são os alunos que estudaram em colégio particular com bolsa integral e os que fizeram uma parte em escola pública e outra parte como bolsistas. Vestibulandos com algum tipo de deficiência e professores da rede pública também podem ingressar no ProUni. No caso dos docentes, eles podem disputar bolsas em cursos de licenciatura, pedagogia ou normal superior. O critério de renda não é considerado.