Botão no celular vai denunciar pornografia infantil na Espanha

Um simples clique sobre um botão que as operadoras de telefonia celular incluirão em seus sites permitirá a denúncia direta e anônima de casos de pornografia infantil na internet para desmascarar pessoas que se escondem na rede para cometer crimes de extrema gravidade. “Proteja a infância” é o nome da iniciativa feita em colaboração por …

02/02/2011 14:19



Um simples clique sobre um botão que as operadoras de telefonia celular incluirão em seus sites permitirá a denúncia direta e anônima de casos de pornografia infantil na internet para desmascarar pessoas que se escondem na rede para cometer crimes de extrema gravidade.

“Proteja a infância” é o nome da iniciativa feita em colaboração por quatro empresas que, embora sejam concorrentes no mercado da telefonia celular espanhola –Telefónica, Vodafone, Orange e Yoigo–, compartilham a consciência do papel de fomentar o uso seguro e responsável das novas tecnologias, especialmente entre os menores de idade.

Além das empresas, também faz parte da campanha a “Protégeles”, uma organização espanhola de proteção à infância que, entre outros campos de atuação, se dedica a combater a pornografia infantil e o assédio sexual de menores na internet e que na Espanha é o canal de denúncias da Comissão Europeia desse tipo de crimes.

Segundo destacou nesta terça-feira o presidente da ONG, Guillermo Cánovas, cerca de 10% das aproximadamente 3.000 denúncias que chegam a cada mês à sede organização estão relacionadas com esse mal que tem a web como palco, um espaço de liberdade “muitas vezes confundido com um espaço de impunidade”.

Nos últimos quatro anos de trabalho da Protégeles, as denúncias recebidas sobre sites de pornografia infantil hospedados na Espanha foram reduzidas 94%, já que dos 685 registrados em 2007, restaram 40 em 2010.

Números que falam, segundo Cánovas, de uma “luta constante e em permanente evolução” que a partir de diferentes âmbitos sociais, políticos e empresariais é travada contra uma praga que está começando a ser vencida, embora “ainda reste muito o que fazer”.

A difusão de pornografia infantil, advertiu, “está sendo reduzida às redes de P2P”.

“Nos últimos anos, a colaboração entre a indústria que opera na Espanha, o canal de denúncias da Comissão Europeia e o trabalho das Forças e Corpos de Segurança está dando resultados muito bons”, insistiu Cánovas.

A este respeito, o presidente da ONG também mencionou o código de conduta que, em dezembro de 2007, foi assinado pelas quatro companhias que agora criaram o botão de denúncia.

Este código possibilitou com que as imagens de pornografia infantil e de abusos sexuais de menores hospedadas em sites gratuitos se tornassem “ínfimas”, disse Cánovas.

O botão de denúncia já está disponível nos sites das quatro empresas e, em breve, também estará acessível nos telefones celulares espanhóis. O mecanismo permite conexão direta com o site Protegeles.

Caso seja comprovada a veracidade da denúncia, o caso será notificado às autoridades policiais.

Belém Cardona, da Yoigo, destacou que as quatro operadoras uniram suas forças “por uma causa que vale a pena e ficaram à altura do que a sociedade espera”.

“Navegar pela internet é uma experiência fantástica, cheia de possibilidades, e não vamos consentir que pessoas mal-intencionadas consigam estragá-la”.

Para José Manuel Sedes, de Vodafone, o botão é “um canal adicional” para denunciar casos de conteúdos que apresentem abusos sexuais a menores na rede.

Sofía Fernández de Mesa, da Telefónica, destacou o “desafio de encontrar o ponto de equilíbrio entre o temor representado pela possível exposição a conteúdos ilegais e os benefícios que as novas tecnologias apresentam na vida cotidiana”.

Para Jesús Guijarro, da Orange Espanha, esta aliança das quatro companhias “é mais um passo dentro da longa colaboração da indústria na luta contra os abusos sexuais de menores e a pornografia infantil”.