Conclusão da BR-163 acontece este ano e auxiliará agronegóci

Depois de quatro décadas de espera, o asfaltamento da BR-163, com 1.770 Km de extensão entre Cuiabá e Santarém, será finalmente concluído no final deste ano. Quem garante é o diretor geral do Dnit (Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes), Luiz Antônio Pagot. Ele revelou que a obra será inaugurada até dezembro, ficando para 2012 …

07/02/2011 09:23



Depois de quatro décadas de espera, o asfaltamento da BR-163, com 1.770 Km de extensão entre Cuiabá e Santarém, será finalmente concluído no final deste ano. Quem garante é o diretor geral do Dnit (Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes), Luiz Antônio Pagot. Ele revelou que a obra será inaugurada até dezembro, ficando para 2012 apenas a conclusão das 59 pontes que estão sendo construídas do lado do Pará. A rodovia, com trechos de 1.005 Km no Pará e 765 Km em Mato Grosso, tem custo estimado em R$ 1,40 bilhão.

Até agora estão asfaltados 934 Km, restando ainda 836 Km para serem pavimentados em 2011. Do trecho asfaltado, 744 Km estão situados em Mato Grosso e 190 Km no lado paraense. Tenente-coronel Roberto Tailor Souza da Silva, comandante do 9º Batalhão de Engenharia de Construção (BEC), informou que em Mato Grosso resta um trecho de apenas 21 Km para ser concluído até à divisa com o Pará, a partir de Guarantã do Norte (715 Km ao Norte de Cuiabá).

A pavimentação deste trecho está sendo executada pela construtora Constil, sob a supervisão do 9º BEC. O trecho até à divisa com o Pará tem 49,6 Km, sendo que 25,82 Km foram pavimentados em 2009 pelo BEC.

Em território paraense, ainda faltam 815 Km para serem asfaltados. O 8º BEC, sediado no Pará, está executando a pavimentação de um trecho de 217 Km entre Santarém e Rurópolis. 150 quilômetros já estão prontos e o restante (67 Km) será concluído este ano.

De acordo com o comandante do 8º BEC, coronel Aguinaldo da Silva Ribeiro, o trecho está loteado em cinco etapas (terraplanagem, subsolo, drenagem superficial, base e asfalto) e executado por empresas terceirizadas. A parte de pavimentação está com o 8º BEC. Ao todo são 300 homens mobilizados para trabalhar neste trecho, porém atualmente este efetivo foi reduzido para 150 trabalhadores devido ao período das chuvas.

Nos trechos mais críticos da rodovia, máquinas e homens dão socorro aos motoristas nas estradas. Ao longo de toda a rodovia, praticamente não existem atoleiros porque os trabalhos de terraplanagem já estão sendo executados. “O problema é que após uma chuva muito forte, caminhões não-traçados encontram dificuldades devido ao deslizamento da estrada”, afirma o engenheiro de Obras, Joelson Lima.

Centenas de máquinas e homens estão mobilizados no trabalho de pavimentação, quase 24 horas por dia. Rochas são detonadas com explosivos de dinamites e máquinas com tecnologias de última geração complementam este trabalho, removendo materiais do solo e abrindo frente para a execução de outras etapas das obras, inclusive terraplanagem e construção de pontes e bueiros.

“Para o Exército não existe sábado, domingo ou feriado. Trabalhamos todos os dias para compensar aqueles que eventualmente ficamos parados por causa das chuvas”, afirma o engenheiro residente da “Operação Guarantã” no destacamento militar de Guarantã do Norte, Áureo Rafael Ferreira da Silva. Segundo o capitão Wesley Nantes, comandante do destacamento militar de Guarantã, cada dia de chuva representa três dias de paralisação dos trabalhos. “Por isso, quando a chuva dá trégua não temos dia certo para descansar”.

TRAIRÃO

No destacamento de Trairão, na altura do Km 1.400 da BR-163, o 9º BEC mantém outro efetivo trabalhando na construção de pontes, em parceria com a AM Engenharia e Construção. De acordo com o diretor da empresa, Assad Mohamed, as obras começaram em novembro de 2009 e devem ser concluídas até março deste ano. Engenheiro residente da obra, tenente José Renato Oliveira, informou que das cinco pontes contratadas, três já foram concluídas: Arraia, Espinho e Itapacorá.

“A missão da Engenharia é contribuir para o desenvolvimento nacional. Estamos cumprindo a missão com orgulho, especialmente numa região tão longínqua e onde a logística é precária. Faz parte do meu sonho ver esta rodovia totalmente asfaltada”, afirma o tenente-coronel Roberto Tailor da Silva. (Marcondes Maciel viajou a Santarém a convite do 9º BEC)