Consumo aumenta 4,50% em 2010, diz a Fiemt

O consumo de energia elétrica em Mato Grosso cresceu 4,50% em 2010, alcançando 5,779 milhões de Megawatts/Hora (MW/h), contra 5,530 milhões MW/h no ano anterior. De acordo com levantamento divulgado pela Federação das Indústrias do Estado (Fiemt), o setor industrial respondeu por 28% de todo o consumo estadual, com 1,630 milhões MW/h, expansão de 1,34% …

08/02/2011 07:37



O consumo de energia elétrica em Mato Grosso cresceu 4,50% em 2010, alcançando 5,779 milhões de Megawatts/Hora (MW/h), contra 5,530 milhões MW/h no ano anterior.

De acordo com levantamento divulgado pela Federação das Indústrias do Estado (Fiemt), o setor industrial respondeu por 28% de todo o consumo estadual, com 1,630 milhões MW/h, expansão de 1,34% em relação a 2009, quando o consumo chegou a 1,608 milhões MW/h.

Com 1,487 milhões MW/h, o segmento da indústria da transformação apresentou incremento de apenas 0,06% na comparação com o ano anterior, 1,477 milhões MW/h.

O setor de extração e tratamento de minerais consumiu 83,667 mil MW/h, contra 80,512 mil MW/h em 2009, incremento de 3,91%.

O segmento de construção aparece como o terceiro em volume de consumo de energia elétrica do setor industrial, com 57,763 mil MW/h, mas o que apresenta o maior índice de crescimento percentual, 15,63%. No ano passado, o consumo ficou em 49,951 mil MW/h. O ótimo desempenho da área de construção se deu em função do grande volume de obras no Estado, no último ano, estimulado pelo movimento e expectativa da Copa 2014.

O item “outros setores” apresentou consumo de 1,416 mil MW/h, evolução de 52,75% em relação a 2009, com 927 MW/h consumidos.

A Fiemt divulgou também o quadro atualizado sobre o número de consumidores na indústria mato-grossense. Ao todo, o setor industrial conta com 16,430 mil consumidores. Em 2009, este número era de 15,616 mil, gerando crescimento de 5,21% de um ano para o outro.

O setor da construção é o que concentra o maior número de clientes do setor industrial (9,663 mil), seguido da indústria da transformação (6,395 mil consumidores), extração e tratamento de produtos minerais (271) e, outros segmentos, 101.

BRASIL

Em todo o país, o consumo de energia elétrica cresceu 7,8% em 2010, ante 2009, por conta da recuperação da economia, com as classes residencial e comercial com patamar elevado de crescimento, enquanto a classe industrial consolidou a recuperação iniciada no segundo semestre do ano anterior.

Segundo a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), o consumo industrial de energia elétrica na rede liderou a expansão do mercado em 2010, contribuindo com 4,5 pontos percentuais na taxa anual de 7,8% do consumo total.

No ano passado, o consumo dessa classe cresceu 10,6% ante 2009, chegando a 183,743 mil GWh, superando os valores de consumo registrados em 2008, antes da crise financeira. A região Sudeste, disse a EPE, foi a região que apresentou o maior crescimento no consumo industrial, de 13,1%. Em dezembro, o segmento industrial apresentou crescimento de 6,3% ante o mesmo mês de 2009, totalizando 15,524 mil GWh.

Já o consumo residencial avançou 6,3% no ano passado, para 107,160 mil GWh, mantendo o mesmo patamar de crescimento registrado em 2009.

“A evolução deste consumo nos últimos anos tem sido favorecida por um mercado de trabalho aquecido (taxa de desocupação em queda e aumento do emprego formal, da massa salarial e do rendimento médio) e pela oferta de crédito, que vem estimulando a aquisição de aparelhos eletrodomésticos com decorrente consumo adicional de eletricidade”, avalia a EPE.

Em dezembro de 2010, o consumo da classe residencial cresceu 4,6%. O consumo comercial de energia elétrica, por sua vez, registrou expansão de 5,9% em 2010 ante 2009, para 69,086 mil GWh.