Para Madureira, ‘pior que está não fica’

O vereador João Madureira (PSC) é o novo prefeito em exercício de Várzea Grande. Ele tomou posse ontem na Câmara Municipal como novo chefe da cidade, um dia após o Legislativo decidir afastar o prefeito Murilo Domingos e o seu vice Tião da Zaeli, ambos do PR, por um prazo de até 180 dias. O …

04/03/2011 09:06



O vereador João Madureira (PSC) é o novo prefeito em exercício de Várzea Grande. Ele tomou posse ontem na Câmara Municipal como novo chefe da cidade, um dia após o Legislativo decidir afastar o prefeito Murilo Domingos e o seu vice Tião da Zaeli, ambos do PR, por um prazo de até 180 dias. O prefeito é acusado de cometer irregularidades administrativas.

Hoje pela manhã, Madureira já despacha no gabinete da prefeitura e promete demitir quase todos os secretários de governo. Além do afastamento do prefeito, a Câmara abriu uma comissão processante para investigar a gestão dos republicanos.

Madureira afirmou que devem permanecer nos cargos os dois secretários que são vereadores: Wiltinho Coelho (PR), que está no comando da Secretaria de Educação; e Baiano Pereira (DEM), da Secretaria de Esportes. Além disso, o secretário de Finanças, José Augusto, também deve ficar.

Murilo Domingos está licenciado do cargo para tratamento de saúde. Seu retorno para o cargo estava previsto para a próxima quarta-feira. A prefeitura estava sendo conduzida pelo vice.

Conforme o novo prefeito, Tião da Zaeli ligou para ele e disse que estará hoje, às 9h, no gabinete da prefeitura para transmitir o cargo. “Nós cumprimos a lei, o regimento interno, fizemos nosso papel. Estávamos numa situação em que corríamos o risco de ser apedrejados pela população aqui na Câmara e apanhar na rua. Hoje, depois do nosso ato, fomos recebidos com aplausos”, disse Madureira.

Questionado sobre uma crise maior com a demissão dos secretários e uma possível volta, pela Justiça, de Murilo, Madureira afirmou que “pior que está não fica”. “Só vai ficar quem trabalha”, complementou.

O argumento para o afastamento do prefeito e vice foi a garantia de não obstrução do processo de investigação.

Além disso, Madureira afirmou que os vereadores estavam sendo muito pressionados pela população para “tomar alguma atitude diante das diversas denúncias a que o prefeito responde na Justiça por improbidade administrativa e a situação de abandono da cidade”, justificou o novo prefeito.

O vereador Hilton Gusmão (PV) explicou que todas as autoridades competentes foram notificadas sobre a mudança no Executivo, inclusive os dois maiores interessados, Murilo e Tião. O requerimento de afastamento dos dois, aprovado pelos vereadores, foi publicado num jornal diário. Então, hoje os vereadores informaram ao Tribunal Regional Eleitoral e também à Justiça, no Fórum da cidade.

Em que pese Murilo e Tião, os vereadores Hilton Gusmão e Fábio Saad foram notificá-los pessoalmente. No apartamento do prefeito Murilo os dois foram informados de que ele estava dormindo e que por isso não poderia recebê-los. Então, deixaram a notificação na portaria. Já no caso de Tião, Hilton Gusmão disse que, apesar de o terem encontrado pessoalmente, Zaeli não quis assinar o documento.

Na sessão de ontem, o vereador Maninho de Barros (DEM) assumiu a presidência da Câmara. Com a saída de Madureira, o suplente, João Bosco (PSC), também tomou posse na vaga do correligionário.