Agecopa exclui VG da lista de projetos; deputados reagem

A ausência de Várzea Grande na lista apresentada pela Agecopa das cidades que serão beneficiadas pelos projetos da Copa de 2014 chamou a atenção do ex-deputado Benedito Pinto, que acompanhou a audiência realizada na sede da agência na terça (15). A cada projeto que era apresentado os diretores exibiam uma lista com os municípios que …

17/03/2011 12:21



A ausência de Várzea Grande na lista apresentada pela Agecopa das cidades que serão beneficiadas pelos projetos da Copa de 2014 chamou a atenção do ex-deputado Benedito Pinto, que acompanhou a audiência realizada na sede da agência na terça (15). A cada projeto que era apresentado os diretores exibiam uma lista com os municípios que receberão aquele benefício. Apesar de Cuiabá ser citada em todos eles, Várzea Grande não apareceu nenhuma vez.

   O fato também chamou a atenção do deputado Walace Guimarães (PMDB), que assim como Benedito, aproveitou o encontro para interceder pela segunda maior cidade do Estado. A principal cobrança dele foi a respeito da revitalização das avenidas Leôncio Lopes de Miranda e Capão Grande, que dão acesso à rodovia dos Imigrantes. “Quem transita por lá é mais o pessoal que vem de fora, do Norte, e do jeito que está eles acabam levando uma péssima imagem de Cuiabá e de Várzea Grande”, argumentou.

   Até o momento as únicas obras de adequação viária que a cidade receberá são a construção de duas trincheiras na avenida da FEB, a primeira no ponto em que ela se encontra com a avenida Dom orlando Chaves, já nas proximidades de Cuiabá, e a segunda no quilômetro zero. “Sem dúvida essas obras vão beneficiar muito a cidade, mas essas outras duas também precisam ser revistas”, ponderou Walace.

   De acordo com o presidente da Agecopa, Yênes Magalhães, a quantidade reduzida de obras destinadas a Várzea Grande ocorre porque quando os projetos foram desenvolvidos a agência contava apenas com o orçamento próprio de R$ 1 bilhão. “Nós fizemos os projetos e depois fomos fazendo cortes para eles se adequarem à verba que nós tínhamos”, explicou.

   Hoje, além do R$ 1 bilhão que já tinha disponível, a Agecopa conta com a possibilidade de estabelecer convênios com o governo federal e de fazer financiamentos para as obras necessárias. Os empreendimentos na FEB, por exemplo, estão dentro dos projetos de travessia urbana que serão bancados pelo Dnit. As obras estão orçadas em R$ 388 milhões e compreendem também as avenidas Dom Orlando Chaves, Fernando Correa da Costa e Miguel Sutil.