“Alvorada da Odisseia”: Coalizão de 5 países começa a bombardear a Líbia

Uma coalizão de cinco países – Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Canadá e Itália – está lançando ataques contra a Líbia com o objetivo de minar a defesa aérea do regime de Muammar Gaddafi, informou o Pentágono (comando militar dos EUA) neste sábado (19). Os ataques aéreos têm como principal alvo a defesa aérea das cidades …

19/03/2011 19:28



Uma coalizão de cinco países – Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Canadá e Itália – está lançando ataques contra a Líbia com o objetivo de minar a defesa aérea do regime de Muammar Gaddafi, informou o Pentágono (comando militar dos EUA) neste sábado (19).
Os ataques aéreos têm como principal alvo a defesa aérea das cidades de Trípoli e Misrata, disse a autoridade a jornalistas sob condição de anonimato. A operação conjunta recebeu o nome de “Alvorada da Odisseia”.
Forças e aviões dos EUA participarão da ação, disse a autoridade.
Cerca de 25 navios da coalizão, incluindo três submarinos americanos armados com mísseis Tomahawk, estão estacionados no Mediterrâneo. Cinco aviões de vigilância dos EUA também estão na região.
O bombardeio americano ocorre horas depois de aviões franceses terem aberto fogo contra tanques de guerra e tropas no país africano.

Uma coalizão de cinco países – Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Canadá e Itália – está lançando ataques contra a Líbia com o objetivo de minar a defesa aérea do regime de Muammar Gaddafi, informou o Pentágono (comando militar dos EUA) neste sábado (19).
Os ataques aéreos têm como principal alvo a defesa aérea das cidades de Trípoli e Misrata, disse a autoridade a jornalistas sob condição de anonimato. A operação conjunta recebeu o nome de “Alvorada da Odisseia”.
Forças e aviões dos EUA participarão da ação, disse a autoridade.
Cerca de 25 navios da coalizão, incluindo três submarinos americanos armados com mísseis Tomahawk, estão estacionados no Mediterrâneo. Cinco aviões de vigilância dos EUA também estão na região.
O bombardeio americano ocorre horas depois de aviões franceses terem aberto fogo contra tanques de guerra e tropas no país africano.

Obama autorizou ataque em visita ao Brasil

Segundo a rede CNN, citando uma fonte oficial americana, os primeiros mísseis americanos alvejaram as defesas aéreas de Gaddafi nos arredores da capital Trípoli.

Em uma segunda fase, informou a rede americana, tropas leais ao ditador também podem ser bombardeadas.

O objetivo do ataque é evitar que Gaddafi avance sobre cidades controladas por rebeldes, principalmente Benghazi, que está sob cerco.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse que as forças britânicas também estão em ação e classificou a ação de “correta e legal”.

Já a TV Líbia disse que o “ataque dos cruzados atingiu alvos civis em Trípoli”.

Em visita ao Brasil, o presidente dos EUA, Barack Obama, disse que não pretende enviar tropas ao país africano e disse estar protegendo a população líbia e os interesses dos EUA e da comunidade internacional. Ele autorizou o ataque durante sua passagem por Brasília.

Ele conversou exclusivamente com jornalistas americanos, que acompanham as viagens oficiais do presidente, sobre a situação na Líbia, que se agravou nas últimas horas.

França abre fogo

Aviões franceses abriram fogo neste sábado contra tropas do ditador líbio Muammar Gaddafi. Segundo o Ministério da Defesa francês, a missão pretende garantir a exclusão do espaço aéreo e evitar ataques de militantes pró-Gaddafi contra a população civil.

Ainda de acordo com o ministério, a intenção também é garantir a exclusão do espaço aéreo. Em entrevista coletiva, o coronel do Estado-Maior do Exército, Thierry Burkhard, caças franceses atiraram contra um veículo militar líbio.

Segundo o presidente Nicolas Sarkozy, os países reunidos na Cúpula de Paris entraram em acordo para a aplicação da resolução do Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) sobre a Líbia. Na última quinta-feira (17), o Conselho de Segurança aprovou ações contra o regime do ditador líbio, que incluem uma zona de exclusão aérea e ataques contra alvos militares. O envio de tropas de solo está descartado.

Após a resolução da ONU, Gadaffi anunciou um cessar-fogo. No entanto, cidades que estavam nas mãos de opositores foram atacadas durante o dia.

A agência de notícias France Presse informou que a cidade de Benghazi sofreu pelo menos dois bombardeios por parte de Gaddafi neste sábado.