Intensificação das relações comerciais entre Brasil e Estados Unidos

A convite da presidenta Dilma Roussef, o governador Silval Barbosa esteve presente no almoço realizado em Brasília no sábado (19.03) com o presidente dos Estados Unidos da América, Barack Obama, e demais autoridades. A programação faz parte da agenda oficial do presidente americano no país. De acordo com o governador Silval Barbosa, a visita de …

20/03/2011 10:21



A convite da presidenta Dilma Roussef, o governador Silval Barbosa esteve presente no almoço realizado em Brasília no sábado (19.03) com o presidente dos Estados Unidos da América, Barack Obama, e demais autoridades. A programação faz parte da agenda oficial do presidente americano no país.
De acordo com o governador Silval Barbosa, a visita de Barack Obama representa o interesse mútuo na intensificação das relações comerciais entre Brasil e Estados Unidos. “O presidente entende que podemos ser muito mais fortes nessa relação. Hoje o Brasil importa mais do que exporta”, afirmou.
O chefe do Executivo Estadual destacou que este interesse anda lado a lado com a proposta de crescimento econômico do Governo do Estado, ilustrado no Plano de Governo. “Tudo isso anda em consenso com a nossa meta de Governo que é ampliar nossa capacidade econômica, incrementando produção, infraestrutura, entre outros aspectos para aumentarmos a exportação”, destacou.
AGENDA
Barak Obama chegou ao Palácio do Planalto às 10h27 e foi recebido pela presidenta Dilma Rousseff, acompanhada do ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota. No local tiveram primeiramente uma conversa privada. Os dois passaram mais de duas horas reunidos no Planalto. Depois, Dilma e Obama fizeram uma reunião ampliada com ministros brasileiros e secretários norte-americanos.
Na delegação brasileira, havia pelo menos cinco ministros, o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, e o assessor especial para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia. A política comercial e os investimentos norte-americanos dominaram as conversas.
Após a reunião, Dilma e Obama fizeram a declaração conjunta, onde a presidenta da República solicitou ao chefe americano o fim de barreiras protecionistas a setores produtivos da economia americana, como condição para intensificar relações comerciais entre os dois países.
“Somos um país que se esforça para sair de anos de baixo desenvolvimento. Por isso buscamos relações comerciais mais justas e equilibradas. Para nós, é fundamental que sejam rompidas as barreiras que se erguem contra nossos produtos”, defendeu a presidenta.
Barack Obama, por sua vez, destacou a importância do Brasil no fornecimento de energia para a maior economia do mundo. Segundo ele, a extração do petróleo da camada pré-sal consolidará a importância do Brasil nessa área.
“Podemos ajudar a fornecer tecnologia para extrair o petróleo. Quando o Brasil começar a vendê-lo, queremos ser os melhores fregueses. A instabilidade em algumas regiões do mundo afeta o preço do petróleo. Os Estados Unidos ficariam felizes se encontrassem uma fonte estável e segura de energia”, disse.
Neste domingo, o presidente dos Estados Unidos parte para o Rio de Janeiro, onde fará discurso no Teatro Municipal.