Trabalhadores da educação de Matupá aprovam estado de greve

Trabalhadores da educação da rede municipal de Matupá, a 696 km de Cuiabá, estão em estado de greve. A decisão foi aprovada, na terça-feira (22), em assembleia geral com a participação do diretor regional do Polo Nortão l do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT), Fernando Alves da Silva. De acordo …

24/03/2011 19:35



Trabalhadores da educação da rede municipal de Matupá, a 696 km de Cuiabá, estão em estado de greve. A decisão foi aprovada, na terça-feira (22), em assembleia geral com a participação do diretor regional do Polo Nortão l do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT), Fernando Alves da Silva.

De acordo com o sindicalista, foi aprovado estado de greve e paralisação por tempo indeterminado a partir da próxima terça-feira (29), caso o prefeito Fernando Zafonato (DEM) não cumpra o compromisso firmado com os trabalhadores da educação. O chefe do Executivo havia garantido um reajuste de 21,77% do piso salarial e recuou, descumprindo o acordo feito com a categoria, explicou o diretor regional do Sintep/MT.

Indignados com a falta de compromisso do prefeito, mais de 150 profissionais da educação foram às ruas, na terça-feira, para denunciar irregularidades na folha da educação, a falta de repasse para as escolas e o descumprimento do acordo.

Os trabalhadores da educação reivindicam a realização do concurso público, repasse para as escolas, reestruturação do Plano de Carreira Cargos e Salários (PCCS), com inclusão dos funcionários da educação, e a recomposição do piso salarial. “Aguardamos uma resposta do prefeito municipal às nossas reivindicações, caso contrário a greve será confirmada na próxima semana”, afirmou o presidente da subsede do Sintep/MT, José Costa Gomes.

Denúncias – As irregularidades constatadas pela subsede do Sintep/MT serão encaminhadas ao Ministério Público e ao Conselho do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), tanto em âmbito municipal como nacional.

 fonte: Pau e Prosa Comunicação